A nova estratégia de segurança russa

Tropas aerotransportadas da Rússia desfilam em Moscou (Foto: Zhuravlevzhuravleva/Pixabay).

A nova Estratégia de Segurança da Rússia, assinada por Vladimir Putin no início deste mês, reflete as preocupações atuais dos estrategistas do país. O documento traça as “linhas vermelhas” que os russos consideram que não devem ser ultrapassadas pelo Ocidente, e preocupa o fato de não coincidirem com as linhas traçadas pela OTAN e pelos EUA.

Respostas de Putin à questões geopolíticas

Foto: Sergei Savostyanov/Tass.

A “Linha Direta” de quarta-feira com Vladimir Putin durou quase quatro horas. No evento anual de perguntas e respostas, o presidente da Rússia respondeu a 70 questões enviadas pela população do país por vários canais de comunicação. Este foi o 19ª evento desse tipo.

Izvestia: Kiev não terá permissão para entrar na OTAN por pelo menos mais 10 anos

Foto: Ukrinform.

Segundo o jornal Izvestia, o fato de que ninguém na OTAN, incluindo os Estados Unidos, pretende lançar uma escalada tão flagrante com a Federação Russa.

Chefe do Estado-Maior da Rússia espera laços mais construtivos com os EUA após cúpula de Genebra

General Valery Gerasimov, chefe de Estado-Maior da Rússia (Foto: Kremlin/Moscow Times).

A cúpula Rússia-EUA, iniciada por Washington, aconteceu na cidade suíça de Genebra em 16 de junho.

Movimento de tropas russas perto da fronteira com a Ucrânia foram mencionados na cúpula Putin-Biden

Tropas da Rússia na fronteira com a Ucrânia (Foto: Getty).

“Nós, no entanto, estamos agindo em nosso próprio território”, apontou o porta-voz Dmitry Peskov, observando que exercícios com tropas e equipamentos americanos estavam ocorrendo ao longo das fronteiras da Rússia.

Respeito mútuo, mas sem amizade no encontro entre Biden e Putin em Genebra

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, encontra-se com seu homólogo russo, Vladimir Putin, em Villa la Grange, Genebra, em 16 de junho de 2021 (Foto: Denis Balibouse/AFP).

Segundo um analista, a reunião talvez não pudesse ter sido muito melhor, mas certamente poderia ter sido muito pior. Se na Guerra Fria líderes americanos e soviéticos assinavam acordos sobre grandes questões, Biden e Putin nunca esperaram grandes avanços em Genebra.

Biden procura minimizar Rússia e estimular aliados na tentativa de encurralar Putin

Os presidentes dos EUA, Joe Biden, e da Rússia, Vladimir Putin, chegam para a cúpula EUA-Rússia em Villa La Grange, em Genebra, Suíça, em 16 de junho de 2021 (Foto: Saul Loeb/Reuters).

Assessores disseram que Joe Biden procurou passar uma mensagem de que Putin, pressionado pela China, vem se isolando no cenário internacional com suas ações.

Segundo analista, apoio de Biden aos acordos de Minsk na cúpula de Genebra é visto como sucesso da Rússia

O presidente dos EUA, Joe Biden (Foto: Patrick Semansky/AP Photo).

Após a cúpula, Joe Biden afirmou que reafirmou a Putin seu apoio à Ucrânia, e ambos os lados “concordaram em buscar a diplomacia relacionada ao acordo de Minsk”.

Analista diz que cúpula Putin-Biden cria agenda para relações EUA-Rússia

Biden e Putin cumprimentam-se antes do início da reunião (Foto: Denis Balibouse/EPA).

A agenda da cúpula cobriu estabilidade estratégica, segurança cibernética, o Ártico e relações diplomáticas.

Representante russo na ONU diz que UE escolhe abordagens destrutivas ao lidar com Moscou

O diplomata russo Dmitry Polyanskiy, Primeiro Representante Permanente Adjunto da Rússia na ONU (Foto: UNIFEED/ONU).

Para citar o exemplo de tais abordagens, Dmitry Polyanskiy mencionou sanções unilaterais que contradizem o direito internacional.