Izvestia: Kiev não terá permissão para entrar na OTAN por pelo menos mais 10 anos

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Foto: Ukrinform.

Foto: Ukrinform.

A Ucrânia poderá se tornar membro da OTAN em não menos de 10-15 anos. Uma fonte de alto escalão da aliança disse ao jornal de São Petersburgo Izvestia que os membros da organização não planejam aceitar Kiev em suas fileiras, uma vez que não estão prontos para um agravamento tão óbvio com a Rússia.

A aliança diz à liderança ucraniana que o país precisa se adequar aos critérios da OTAN e convencer os aliados de que merece ingressar na organização.

“As dificuldades não são nem mesmo os problemas territoriais não resolvidos, mas o fato de que ninguém na OTAN, incluindo os Estados Unidos, pretende lançar uma escalada tão flagrante com a Federação Russa”, disse a fonte da OTAN ao jornal. Segundo a fonte, a Geórgia está muito mais pronta para aderir à aliança do que, por exemplo, Montenegro, mas não é aceita na OTAN pelas mesmas razões que a Ucrânia.


LIVRO RECOMENDADO

Continente selvagem: O caos na Europa depois da Segunda Guerra Mundial

  • Keith Lowe (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

“Há um entendimento sobre a Ucrânia – ela é necessária como um instrumento de pressão sobre a Rússia. A adesão à OTAN é principalmente uma mensagem para Moscou, não para Kiev”, disse ao Izvestia o professor associado do Departamento de Teoria Política do MGIMO Kirill Koktysh.

“Outros contatos entre os Estados Unidos e a Ucrânia também dependerão do relacionamento entre os Estados Unidos e a Rússia. Os contatos EUA-Ucrânia são o que pode ser chamado de relacionamento instrumental”, acrescentou ele.

Até agora, o fornecimento de um plano de ação para a preparação da adesão de Kiev continua em aberto. A Ucrânia espera recebê-lo em 2022 e já pergunta com irritação de quantas reformas a OTAN precisa para isso, escreve o jornal.

Ao mesmo tempo, Joe Biden, falando sobre o plano de ação, destacou que a questão depende não só dos Estados Unidos, mas também de outros países da aliança. A Ucrânia tem que convencer todos os membros da OTAN, o que não é fácil, resumiu o presidente dos EUA em 14 de junho.

Fonte: Tass.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também