Desestabilização: a atual ameaça à ordem pública brasileira

Quando se trata de desestabilizar um regime de governo, as forças opositoras podem lançar mão de diversos estratagemas, muitas vezes pouco conhecidos do grande público, que vão desde a criação de narrativas até a infiltração de agentes com os mais diversos objetivos. Cabe às forças de segurança trabalhar com inteligência no sentido de prever esses movimentos e evitar as armadilhas.

Dezembro Negro

Os acontecimentos na última semana, em várias partes do Brasil, escancararam a anomia para a qual se encaminha o nosso país. É preciso que os cidadãos de bem se posicionem de forma firme de forma a derrotar a chamada “esquerda progressista”, condenando de forma veemente indivíduos e organizações que apoiam a bandidolatria, o garantismo, a corrupção e a impunidade que grassam em nossa sociedade.

Resolução de Problemas e Tomada de Decisões na Segurança Pública

Este artigo apresenta, através de uma análise bastante detalhada, uma explanação acerca da resolução de problemas e tomada de decisões na área de Segurança Pública, visando a redução dos crimes que influenciam nas estatísticas de letalidade violenta intencional, através de modelos de tomada de decisão gerencial.

A dinâmica do crime organizado e os negócios das facções criminosas

O crime organizado caracteriza-se pela profissionalização das atividades delituosas por elementos ou facções criminosas visando lucro. Portanto, é de fundamental importância que seja combatido e punido com todo o rigor, fazendo com que a atividade criminosa não seja compensadora.

Guerras Brasílicas do século XXI: soluções táticas nas pequenas frações

O combate às facções criminosas é uma experiência importantíssima no desenvolvimento de técnicas, táticas e procedimentos frente aos desafios representados por novas ameaças e atores. As tropas brasileiras demonstraram astúcia e flexibilidade na adaptação a esse desafio, e sua flexibilidade remonta às Guerras Brasílicas da história colonial.

Antropologia do crime organizado no Brasil

A compreensão da antropologia do crime organizado, das relações entre os delinquentes, da construção da identidade dos indivíduos e da cultura das organizações criminosas é fundamental no combate às facções que atuam no país.