De olho na OTAN, a Rússia realiza exercícios no Mar Negro, no Pacífico e no Mediterrâneo

O Varyag, cruzador de mísseis da Marinha da Rússia (Foto: Vadim Savitsky/Gabinete de Imprensa do Ministério da Defesa Russo/Tass).

Enquanto a OTAN realiza o exercício Sea Breeze 2021, a Marinha da Rússia conduz operações com submarinos e helicópteros embarcados no Mar Negro, realiza treinamento no Mediterrânea com foco na defesa de instalações russas na Síria e conduz testes de armas no clima quente do Pacífico.

A Rússia testou um míssil hipersônico na Síria? Talvez Israel saiba

Um MiG-31 russo com um míssil hipersônico Kinzahl (Foto: Ministério da Defesa da Rússia).

Observadores israelenses dizem que teste do míssil é parte do esforço de Moscou para ganhar presença forte no Mediterrâneo; nos últimos dias os russos realizaram um exercício de combate a apenas 30 km do HMS Queen Elizabeth, atualmente no leste do Mediterrâneo perto de Chipre.

Exercício Sea Breeze 2021 começa no Mar Negro sob ameaça russa de atirar em navios de guerra “intrusos”

Contratorpedeiro da Marinha americana USS Porter fotografado durante o exercício Sea Breeze 2020 (Foto: US Navy).

Exercício tem início cinco dias depois que a Rússia anunciou que um de seus navios de guerra disparou tiros de advertência e uma aeronave de combate lançou bombas no caminho do contratorpedeiro britânico HMS Defender próximo a Sebastopol.

Caça F-35 britânico observa manobras navais russas no Mediterrâneo

Jato F-35B operando a bordo do HMS Queen Elizabeth (Foto: Ministério da Defesa britânico).

Exercícios da Rússia envolvem cinco navios de guerra, dois submarinos, bombardeiros, caças e aeronaves antissubmarino; manobras visam garantir a segurança da base aérea Hmeimim e da instalação naval Tartus operadas pela Rússia na Síria.

Rússia, Bielorrússia e Sérvia iniciam exercícios conjuntos de contraterrorismo da Fraternidade Eslava

Militares da Rússia (Foto: Zarko Skoko/Ministério da Defesa República da Sérvia).

No decorrer das manobras conjuntas, as forças praticarão a realização de operações táticas e um assalto aerotransportado para apoiar a chegada das forças básicas.

China diz que exercícios navais EUA-Austrália são “flexão de músculos”

A Marinha dos EUA disse que o destroier USS Curtis Wilbur conduziu um “trânsito de rotina no Estreito de Taiwan” (Foto: AFP).

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês disse que os dois países deveriam “fazer coisas que conduzam à paz e estabilidade regional, em vez de flexionar seus músculos”.

Dezoito países da OTAN e nações parceiras realizam treinamento de combate em exercício BALTOPS 50

Marinhas de países da OTAN na costa da Dinamarca em 6 de junho de 2021 durante o exercício BALTOPS 50 (Foto: Bryan Underwood/Royal Canadian Navy).

Exercício BALTOPS deste ano incorpora táticas defensivas de guerra cibernética, técnicas e procedimentos para ajudar as forças a garantir vantagem assimétrica na guerra moderna.

Rússia e Bielorrússia vão praticar implantação furtiva de tropas em exercícios estratégicos Zapad-2021

Carros de combate nos exercícios conjuntos russo-bielorrussos Zapad-2017 em um campo de treinamento perto da cidade de Borisov, em 20 de setembro de 2017 (Foto: AFP).

Exercícios estratégicos Zapad-2021 serão executados em áreas militares da Rússia e da Bielo-Rússia em setembro; segundo um comandante russo, será dada atenção redobrada à prontidão do sistema de comando e controle, apoio logístico, e ao desdobramento furtivo do contingente.

Marinha da Rússia inicia exercícios de larga escala no Pacífico

O Varyag, cruzador de mísseis da Marinha da Rússia (Foto: Vadim Savitsky/Gabinete de Imprensa do Ministério da Defesa Russo/Tass).

De acordo com o plano, um exercício operacional das forças combinadas da Frota será executado em zonas marítimas distantes; manobra envolve até 20 combatentes de superfície, submarinos e navios de apoio, além de cerca de 20 aeronaves.

Forte Santa Bárbara, Sistema ASTROS e a Operação Treme Cerrado

O Exercício Treme Cerrado, realizado no início de novembro no Campo de Instrução de Formosa, em Goiás, além de proporcionar o adestramento das tropas envolvidas, mais uma vez mostrou a capacidade do ASTROS, fator de dissuasão do Exército Brasileiro.