F-35 vence licitação dos novos caças suíços

O caça Lockheed Martin F-35A Joint Strike Fighter (Foto: Kristine Legate/USAF).

Além das 36 unidades do caça stealth, a Suíça também vai comprar cinco sistemas de defesa antimísseis Patriot da Raytheon Technologies.

Grã-Bretanha poderia desacelerar suas compras de F-35

F-35B Lightning II conduzindo testes a bordo do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth, em 13 de outubro de 2018 (Foto: Royal Navy).

A Grã-Bretanha havia dito que compraria 138 jatos, mas recentemente se tornou vaga sobre quando e quantos caças acabará comprando.

Lockheed Martin F-35 lidera avaliação de novo caça a jato suíço

Formação de caças F-35 Lightning II da USAF durante exercício no Utah Test and Training Range, em 19 de novembro de 2018 (Foto: Cory D. Payne/USAF).

Governo suíço decidirá entre o Airbus Eurofighter, o Dassault Rafale, o Boeing F/A-18 Super Hornet ou o Lockheed Martin F35-A.

Lockheed Martin oferece jato de combate F-16 à Ucrânia

Foto: Oleksandr Naumenko.

A Lockheed Martin, a maior empreiteira de defesa do mundo, ofereceu à Ucrânia caças multifunção F-16 versão Block 70/72 para modernizar sua força aérea.

Lockheed diz que a demanda global por caças F-35 segue forte, apesar da incerteza sobre os planos da USAF

O custo de um F-35A agora está abaixo de US$ 80 milhões (Foto: Andrew Lee/USAF).

Legisladores que apoiam o programa encontraram um forte aliado no sindicato dos trabalhadores da aeronave, que representa mais de 250.000 empregos na fabricação direta e indireta do F-35.

Lockheed discute a definição das entregas de F-35 para 2022

Uma aeronave Lockheed Martin F-35 é vista no ILA Air Show em Berlim, Alemanha, 25 de abril de 2018 (Foto: Axel Schmidt/Reuters).

O governo americano é o maior cliente da Lockheed, tendo respondido por três quartos de suas vendas no ano passado.

Radar Semanal 04/06/2021

Artigos recentes da internet na China alegam que o bombardeio da OTAN em 1999 contra a embaixada de Pequim na Iugoslávia foi intencional, alegando que a embaixada abrigava secretamente os restos mortais de um caça stealth americano F-117 Nighthawk abatido na região semanas antes (Foto: Reuters).

No Radar desta semana, um artigo questiona se não há interesses escusos por trás das críticas ao F-35; uma análise geopolítica dos interesses no Chifre da África; uma avaliação do recente pedido de desculpas francês pelo genocídio em Ruanda; e uma curiosa história, talvez incrível demais, sobre qual seria a verdadeira razão do bombardeio da embaixada chinesa na Iugoslávia em 1999.

Lockheed pretende produzir 169 caças F-35 em 2022

Lockheed Martin F-35B Lightning II da RAF (Foto: Falcon Photography/Flickr).

Empresa afirmou que espera que a taxa de produção se estabilize em 175 aeronaves por ano após 2022; A estimativa para 2021 é de entregar pelo menos 133 jatos.

Marinha americana realiza primeiro teste real do motor de míssil hipersônico

Em março de 2021, o exército americano começou a entregar o primeiro protótipo de equipamento hipersônico com a chegada de dois canisters de treinamento (Foto: Elliot Valdez/Departamento de Defesa dos EUA).

O planador em comum foi testado em março de 2020, e o exército e a marinha dos EUA estão trabalhando com laboratórios e a indústria no desenvolvimento e na produção.

Reabastecedor da USAF receberá equipamento que permite compartilhar dados entre F-35 e F-22

Um F-22 Raptor e um F-35A Lightning II da USAF voam em formação com o drone XQ-58A Valkyrie no Arizona em 9 de dezembro de 2020 (Foto: James Cason/USAF).

O F-35 e o F-22 são fabricados pela Lockheed Martin, mas usam datalinks incompatíveis e não compartilham informações ao operar furtivamente. Para resolver esse problema, o KC-46 será equipado com um pod de comunicação que fará a ponte entre ambos.