Reabastecedor da USAF receberá equipamento que permite compartilhar dados entre F-35 e F-22

Um F-22 Raptor e um F-35A Lightning II da USAF voam em formação com o drone XQ-58A Valkyrie no Arizona em 9 de dezembro de 2020 (Foto: James Cason/USAF).

O F-35 e o F-22 são fabricados pela Lockheed Martin, mas usam datalinks incompatíveis e não compartilham informações ao operar furtivamente. Para resolver esse problema, o KC-46 será equipado com um pod de comunicação que fará a ponte entre ambos.

O F-22 será aposentado, mas não antes de a USAF se sentir segura com o sucessor.

F-22 (Foto: Bryan Myhr/USAF).

As limitações do F-22 incluem o pequeno tamanho da frota, que contribui para altos custos operacionais, alcance relativamente curto e magazine de armas pequeno.

Honeywell multada em US$ 13 milhões por violações em exportações de defesa

Visitante da feira Asian Aerospace 2006 em Singapura examina um modelo de motor de aeronave da Honeywell em exposição (Foto: Roslan Rahman/AFP/Getty Images).

Acusações envolvem desenhos compartilhados com China, Taiwan, Canadá e Irlanda e incluem as aeronaves F-35, B-1B Lancer e F-22,o helicóptero Apache Longbow, o tanque M1A1 Abrams, o míssil Tomahawk e os motores F135, F414, T55 e CTS800.

Lockheed Martin faz grande avanço nas comunicações futuras para guerra combinada

F-22 (Foto: Bryan Myhr/USAF).

EUA conectaram um U-2, cinco F-35 e um F-22 e transmitiram dados dos sensores dos caças de 5ª geração a operadores em solo, trazendo maior flexibilidade em todos os domínios e aumentando significativamente a consciência situacional e capacidades de comando e controle.

General diz que pico nas interceptações de aeronaves russas cria tensão nas tripulações da USAF no Alasca

Caça F-22 Raptor intercepta um bombardeiro Tu-95 Bear russo no espaço aéreo internacional perto do Alasca (Foto: NORAD).

Os F-22 são aeronaves com custo muito alto para essas missões; militares consideram empregar outros jatos, como os F-16, de quarta geração e menor custo.

Militares dos EUA querem se adiantar a operações russas “mais complexas”

Um F-22 da Força Aérea dos EUA baseado no Alasca intercepta um bombardeiro russo Tu-95 em 9 de junho de 2020 (Foto: NORAD).

Rússia, EUA e OTAN estão intensificando suas atividades militares no Ártico.

Detecção de Aviões Stealth: Desafios e Possibilidades

As capacidades de detectar o inimigo e evitar ser detectado por ele apresentam diversos desafios e possibilidades. Saiba mais neste artigo de Reis Friede.