O caos em Manaus e as medidas de Mobilização Nacional

Estamos vivendo uma pandemia em que as medidas de gestão são de Mobilização Nacional, porém sem a decretação do Sistema Nacional de Mobilização (SINAMOB). Isso não importa. O que importa é o ato de mitigar o problema que se afigura.

Retrospectiva 2020

2020 foi um ano difícil. Além das guerras e questões geopolíticas que, desde sempre, moldam a história da humanidade, a pandemia da COVID-19 acabou se tornando um agravante em diversos aspectos, desde sanitários até políticos. Para o Velho General, foi um ano de muito trabalho e crescimento.

Radar Semanal 20/11/2020

Entre outros, uma análise dos mísseis convencionais da China; o teste de um interceptador de ICBM lançado por destróier americano no Pacífico; um acordo Grécia-Emirados em meio às tensões com a Turquia; reportagem da Al Jazeera sobre Emmanuel Macron, da França; ataque de Israel à instalações iranianas na Síria; general americano afirma que o ISIS ainda é uma ameaça de longo prazo.

O dilema de Biden

Apesar da euforia entre os democratas americanos e setores da esquerda com a possibilidade de vitória do candidato Joe Biden nas eleições americanas, a vida de um Biden presidente não deverá ser fácil. Com cerca de metade do país tendo votado em Donald Trump, Biden provavelmente enfrentará os mesmos problemas do antecessor.

Mobilização Nacional e a Pandemia do Novo Coronavírus

Embora seja um evento eminentemente de saúde pública, uma pandemia nos moldes do atual COVID-19 requer conhecimento consistente em gestão e coordenação, além de excelentes capacidades logística e de mobilização nacional. O SINAMOB (Sistema Nacional de Mobilização) tem a resposta para emergências desta natureza.

Cinco lições de pandemias passadas

Pandemias tem assolado a humanidade no decorrer dos séculos; a atual crise provocada pela COVID-19 é apenas mais uma da longa sequência de pestes que, periodicamente, nos atingem. O estudo desses episódios traz lições que continuam válidas atualmente e algumas tendências já podem ser observadas. Como sempre, a História é mestra.

As relações sino-americanas depois da pandemia

Acredita-se que a pandemia da COVID-19 mudará muita coisa no comportamento das pessoas, embora os efeitos dessas mudanças ainda sejam desconhecidos. Nas relações internacionais não será diferente, já que a crise evidenciou uma dependência preocupante em relação à China, país em que, aliás, se originou o processo de contaminação pelo novo vírus. Nesse contexto chama a atenção como se dará a evolução das relações EUA/China, as maiores potências econômicas e militares do planeta.

Equilíbrio, serenidade e união no combate ao COVID-19

A pandemia do coronavírus COVID-19 vem causando diversas crises “colaterais”. Ao desconhecimento do vírus e a falta de uma vacina – que naturalmente leva um longo tempo para ser desenvolvida – e às dúvidas quanto aos medicamentos mais adequados para o tratamento, aliam-se a falta de insumos básicos (máscaras, luvas, etc.)., a paralização da economia decorrente de prolongadas quarentenas e efeitos sociais até então não experimentados. Tudo isso é temperado pelos rumores sobre a origem do vírus levando a outras tensões e especulações diversas. Nesta análise, o desembargador Reis Friede mostra que colaboração é fundamental no combate à pandemia.

Guerra na Síria em plena pandemia

A pandemia do COVID-19 parece ter removido a guerra na Síria do noticiário. No entanto, o conflito permanece ativo e envolvendo, além dos sírios, a Rússia e a Turquia em lados opostos. A pandemia agrava a já terrível situação das populações afetadas pela guerra.

Tempos de guerra, tempos de aprendizado

A crise desencadeada pela pandemia do COVID-19 tem sido frequentemente comparada a uma guerra por alguns. Será mesmo o caso? Quais são as lições que poderíamos (e deveríamos) aprender (e aplicar) a nosso país a partir de uma real experiência de guerra?