Irã anuncia decisão sobre acordo da AIEA

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Saeed Khatibzadeh (Foto: IRNA).

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Saeed Khatibzadeh (Foto: IRNA).

Em sua coletiva de imprensa semanal realizada online, o porta-voz Saeed Khatibzadeh informou sobre as reuniões e viagens do ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, na semana passada, destacando a participação na reunião urgente dos ministros das Relações Exteriores da Organização de Cooperação Islâmica (OIC), na qual expressou a posição do Irã sobre o os últimos acontecimentos na Palestina e a necessidade de reconhecer os crimes cometidos pelo regime israelense como crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Ele também fez um resumo da viagem de Zarif à Itália, ao Vaticano e à Irlanda, bem como seu telefonema com o chefe de política externa da União Europeia, Josep Borrell.

Sobre o acordo com a AIEA que expirou no sábado, Khatibzadeh disse que o assunto estava sendo discutido no Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã e o resultado seria anunciado pelo conselho ou pela Organização de Energia Atômica do Irã (AEOI).

Sublinhando que o acordo nega o acesso da AIEA além dos acordos de salvaguardas, o porta-voz explicou ainda que o Irã e a agência nuclear da ONU concordaram que as câmeras continuem gravando, mas a agência não teria acesso às gravações.

A restrição estaria em vigor e a decisão final do Irã sobre estender o acordo seria anunciada, de acordo com Khatibzadeh.

Em recente legislação, o Parlamento do Irã estabeleceu um prazo para o governo negar à AIEA qualquer acesso a instalações nucleares além dos acordos de salvaguardas e interromper a implementação do Protocolo Adicional no caso de os EUA se recusarem a remover as sanções.


LIVRO RECOMENDADO

A Revolução Iraniana

  • Osvaldo Coggiola (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

O prazo expirou no sábado, enquanto as sanções dos EUA ainda estão em vigor, apesar das melhorias feitas nas negociações para reativar o acordo nuclear, com base no qual os EUA devem remover todas as sanções contra o Irã.

Em relação aos comentários contraditórios de autoridades iranianas e ocidentais sobre o destino das negociações em Viena, Khatibzadeh ressaltou que não houve contradição, pois houve uma melhora considerável e um acordo estava próximo.

Se Washington tomar sua decisão política e se distanciar do comportamento do governo anterior e da campanha de pressão máxima, disse Khatibzadeh, as diferenças restantes seriam facilmente resolvidas.

O Irã insiste que os EUA, como a parte que interrompeu a participação no acordo causando as dificuldades atuais, deve remover de forma verificável todas as sanções antes que o Irã reverta suas medidas de redução de conformidade que foram tomadas para retribuir a retirada dos EUA.

Referindo-se ao fato, o porta-voz destacou que a janela de oportunidade que o Irã oferece para manter o JCPOA vivo não ficaria aberta para sempre.

Questionado se as sanções são dispensadas em períodos de 120 e 180 dias e se isso significa negociações periódicas para garantir dispensas, o diplomata disse que as dispensas periódicas eram relacionadas ao Congresso dos Estados Unidos e que não haveria renegociação para o JCPOA.

Fonte: IRNA.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a ChinaCurso de InteligênciaCurso sobre a RússiaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também