Militares dos EUA estão divididos?

Muitas coisas incomuns vêm acontecendo ultimamente nos EUA: todo o imbróglio envolvendo as eleições, a grande manifestação em Washington e a controversa invasão do Capitólio – sim, controversa, pois embora a “velha mídia” insista em responsabilizar o presidente Donald Trump, há cada vez mais indícios de infiltrações da Antifa e do BLM –, a censura de Trump nas redes sociais e a presença de tropas para garantir a posse de Joe Biden, que pode chegar a 25.000 militares. Interessante notar que uma divisão típica do exército americano é composta por 10 a 15 mil militares, assim teremos em Washington o equivalente a duas divisões para proteger uma posse presidencial. Isto é absolutamente excepcional. Continuar lendo Militares dos EUA estão divididos?

O dilema da inteligência

Todos os países, não apenas potências como Estados Unidos, Rússia e China, empregam serviços de inteligência. Grandes potências dedicam orçamentos bilionários, países menores nem tanto. Mas nenhum pode prescindir dessa atividade. É dever de qualquer chefe de Estado proteger sua nação, e saber o que os demais países pensam ou fazem – para além de discursos de ódio ou amizade – não é apenas fundamental, é imprescindível. Continuar lendo O dilema da inteligência