General diz que pico nas interceptações de aeronaves russas cria tensão nas tripulações da USAF no Alasca

Caça F-22 Raptor intercepta um bombardeiro Tu-95 Bear russo no espaço aéreo internacional perto do Alasca (Foto: NORAD).

Os F-22 são aeronaves com custo muito alto para essas missões; militares consideram empregar outros jatos, como os F-16, de quarta geração e menor custo.

Militares dos EUA querem se adiantar a operações russas “mais complexas”

Um F-22 da Força Aérea dos EUA baseado no Alasca intercepta um bombardeiro russo Tu-95 em 9 de junho de 2020 (Foto: NORAD).

Rússia, EUA e OTAN estão intensificando suas atividades militares no Ártico.

Obama, Trump e Biden: consistência na política externa

Embora se espere que a política externa dos Estados Unidos sob a próxima administração Biden se afaste de alguns dos princípios-chave da política do presidente Donald Trump, como o “America First”, George Friedman, analista do Geopolitical Futures, aponta para uma grande possibilidade de continuidade, especialmente no que diz respeito às relações com a China e a Rússia.

A Grã-Bretanha retorna ao seu passado

Concluído o Brexit, a Grã-Bretanha deverá encontrar seu lugar no mundo. Embora a administração da União Europeia provavelmente vá procurar dificultar a vida dos britânicos, as perspectivas iniciais podem indicar que o futuro britânico fora da UE poderá não ser tão negro como alguns imaginam. De acordo com esta análise de George Friedman, o Five Eyes, uma aliança britânica com os EUA, Austrália e Nova Zelândia, todos países “descendentes” do Império Britânico, é uma das indicações positivas.