Israel fecha zona de pesca de Gaza após terceira noite de ataques com foguetes

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O sistema anti-foguetes Iron Dome intercepta um foguete de Gaza sobre Ashkelon, ontem (Foto: Amir Cohen/Reuters).

O sistema anti-foguetes Iron Dome intercepta um foguete de Gaza sobre Ashkelon, ontem (Foto: Amir Cohen/Reuters).

Israel fechou completamente a zona de pesca de Gaza na segunda-feira, após uma terceira noite de ataques com foguetes do enclave. Militantes lançaram cinco foguetes de Gaza contra o sul de Israel na noite de domingo, disseram os militares, após duas noites de disparos de foguetes que elementos da inteligência vincularam à violência em Jerusalém.

Quatro pessoas de Sderot ficaram feridas depois de correr para um abrigo, incluindo uma mulher grávida, disse o Centro Médico Barzilai em Ashkelon na segunda-feira. O COGAT (Coordenador de Atividades Governamentais nos Territórios) disse que a zona de pesca de Gaza seria fechada até novo aviso, reiterando que o Hamas é responsável por qualquer violência que saia da Faixa.

Os primeiros dois foguetes foram disparados contra Israel de Gaza na noite de domingo, com mais três disparados durante a noite, de acordo com as IDF. O sistema de defesa aérea Iron Dome interceptou dois deles. O exército ainda não respondeu aos foguetes disparados no sábado e no domingo. Na sexta-feira, ele atingiu a infraestrutura subterrânea do Hamas e os lançadores de foguetes em Gaza após uma barragem de 36 foguetes. Fontes em Gaza também relataram bombardeios a uma posição do Hamas a leste do campo de refugiados de Bureij, no centro de Gaza.

O chefe do Estado-Maior das Forças de Defesa de Israel, Aviv Kochavi, adiou sua viagem aos Estados Unidos no domingo devido ao surto. Após uma reunião de segurança de emergência no sábado sobre os distúrbios em Jerusalém e a subsequente escalada de Gaza, altos funcionários de segurança israelenses disseram que se as tensões em Jerusalém persistirem, Israel provavelmente testemunhará uma escalada de violência em todo o país, e que a agitação pode se espalhar para além de suas fronteiras.

A Divisão Nidal al-Amoudi, ligada ao Fatah, das Brigadas de Mártires de al-Aqsa e das Brigadas de Abu Ali Mustapha, o braço armado da Frente Popular para a Libertação da Palestina, assumiu a responsabilidade pelos foguetes disparados na sexta-feira, e ambos disseram que suas operações foram realizadas em resposta a recentes eventos em Jerusalém.

Segundo fontes em Gaza, é improvável que os grupos tivessem disparado foguetes sem o consentimento do Hamas.

Fonte: Haaretz.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também