Prosseguem as buscas pelo KRI Nanggala

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O submarino KRI Nanggala-402 em 2017 (Foto: Zulkarnain/Xinhua/Getty Images).

O submarino KRI Nanggala-402 em 2017 (Foto: Zulkarnain/Xinhua/Getty Images).

Aeronaves e navios continuam vasculhando as águas ao norte de Bali, na Indonésia, nas buscas ao submarino indonésio desaparecido, o KRI Nanggala 402. As operações estão atingindo uma fase crítica devido à proximidade do esgotamento do suprimento de ar a bordo do submarino.


Na noite de ontem, quinta-feira, o presidente indonésio, Joko Widodo, disse que “a principal prioridade é a segurança dos 53 tripulantes”, pedindo um esforço total para encontrar a embarcação. O comandante da Frota de Submarinos da Marinha da Indonésia, Harry Setiawan, estava a bordo do Nanggala.

O caça minas indonésio KRI Pulau Rimau detectou um objeto com “forte emissão magnética” dentro da área de buscas nos mares ao norte de Bali, levando as equipes de resgate a acreditar que identificaram a área onde o Nanggala pode estar localizado.

A área de interesse fica a cerca de 40 quilômetros ao norte de Bali, próximo do ponto de mergulho e na mesma área onde foi detectado óleo na superfície da água, de acordo com major-general Achmad Riad, porta-voz do TNI (Tentara Nasional Indonesia, Forças Armadas Indonésias).

“Um navio da marinha detectou um objeto com ‘forte ressonância magnética’ a uma profundidade entre 50 e 100 metros, disse Riad em entrevista coletiva nesta sexta-feira. A marinha indonésia espera que o KRI Rigel chegue à área de buscas hoje. O Rigel está equipado com um sonar de alta tecnologia.



Diversos outros navios com capacidades de alta tecnologia também se juntaram aos esforços de busca nesta sexta-feira, criando uma equipe de busca composta por 21 navios de superfície, o submarino KRI Alugoro e embarcações adicionais. A polícia indonésia desdobrou quatro navios, o Gelatik, o Enggang, o Barata e o Balam, para ajudar o TNI a localizar o submarino. As embarcações da polícia são equipadas com drones com sonar bidimensional.

O navio de resgate MV Swift Rescue, de Singapura, deve chegar na área de buscas nesta sexta-feira. Além disso, espera-se também a chegada do navio de resgate submarino MV Mega Bakti, da Marinha Real da Malásia.


O Mega Bakti, navio de resgate submarino da Marinha Real da Malásia (Foto: Vessel Finder).

A marinha australiana enviou dois navios. “Os navios HMAS Ballarat e HMAS Sirius da Marinha Real da Austrália, atualmente no mar em implantações regionais separadas, estão navegando em sua melhor velocidade em direção à área de buscas”, disse o Departamento de Defesa da Austrália em um comunicado à imprensa nesta sexta-feira.

O contra-almirante Mark Hammond, da força-tarefa australiana, acrescentou que seus pensamentos estão com os submarinistas do KRI Nanggala, suas famílias e o povo indonésio. “Como sempre, estamos prontos a ajudar nossos companheiros marinheiros da Marinha da Indonésia”, disse ele.

Os Estados Unidos estão enviando aeronaves para ajudar nas buscas, disse o secretário de imprensa do Pentágono, John Kirby, na quinta-feira, no Twitter. “Estamos profundamente entristecidos com a notícia da perda do submarino da Indonésia e nossos pensamentos estão com os marinheiros indonésios e suas famílias”, disse ele. Ele acrescentou que o secretário de Defesa Lloyd Austin falaria com seu homólogo indonésio nesta sexta-feira para discutir o que mais os EUA podem fazer para ajudar.


O DSRV (Deep Submergence Rescue Vessel) operado pelo SCI Sabarmati, da Marinha da Índia (Foto: Eletimes).

Na quinta-feira a Índia despachou o navio SCI Sabarmati, com um veículo submersível de resgate (DSRV) a bordo, que levará uma semana para chegar a Bali. O ministro da Defesa indiano, Rajnath Singh, conversou com seu homólogo indonésio na quinta-feira, prometendo total apoio da Índia para encontrar o navio. “A Índia está comprometida em ajudar nossos parceiros estratégicos em momentos de necessidade. Aceite minha preocupação e votos de um resgate bem-sucedido”, postou Singh no Twitter.

O sistema de resgate da marinha indiana pode localizar submarinos de até 1.000 metros de profundidade, utilizando seu sonar de varredura lateral e um veículo operado remotamente. Depois que o submarino for localizado, o veículo submersível de resgate tentará atracar nele para extrair o pessoal preso.


O navio indiano SCI Sabarmati, “nave mãe” de veículos de resgate de submersão profunda (Foto: Martin Klingsick/Shipspotting).

O chefe do Estado-Maior da Marinha da Indonésia, almirante Yudo Margono, disse que o submarino tem reserva de ar suficiente para 72 horas em condições de blecaute, o que significa que duraria até sábado. Ele disse que o Nanggala e sua tripulação estão bem preparados e que a última manutenção do submarino ocorreu em 2020 em Surabaya, na ilha de Java.

Margono acrescentou que há duas possibilidades para explicar o derramamento de óleo localizado na superfície: o tanque do submarino pode ter se rompido porque mergulhou muito fundo, ou a tripulação do submarino pode ter liberado o fluido na tentativa de subir à superfície.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também