Aeronaves F-35B do Reino Unido e dos EUA atacam o ISIS em primeiras missões de combate do HMS Queen Elizabeth

Um F-35B decola do HMS Queen Elizabeth na área de operações da Sexta Frota em 18 de junho de 2021 (Foto: Zachary Bodner/US Marine Corps).

O comandante da Ala Aérea do Queen Elizabeth disse que é a primeira missão de combate realizada pelos EUA a partir de um porta-aviões estrangeiro desde o HMS Victorious em 1943, e mostra o nível de integração entre a Royal Navy, a Royal Air Force e os US Marines.

Moscou diz que tiros de advertência detiveram navio de guerra britânico; Londres nega

Uma aeronave de ataque Su-24, modelo que teria lançado bombas no caminho do HMS Defender (Foto: Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa Russo).

O ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu, alertou que “o mundo está afundando rapidamente em um novo confronto, que é muito mais perigoso do que durante os tempos da Guerra Fria”.

Rússia alerta Grã-Bretanha para não provocá-la novamente no Mar Negro

Captura de vídeo divulgado pelo Ministério da Defesa da Rússia mostra o destroier HMS Defender filmado de uma aeronave militar russa no Mar Negro, em 23 de junho de 2021 (Fonte: Ministério da Defesa da Federação Russa via Reuters).

O porta-voz do Kremlin classificou o incidente de “provocação inaceitável”, e disse que se essas ações forem longe demais, nenhuma opção será descartada na defesa das fronteiras da Rússia.

Grã-Bretanha poderia desacelerar suas compras de F-35

F-35B Lightning II conduzindo testes a bordo do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth, em 13 de outubro de 2018 (Foto: Royal Navy).

A Grã-Bretanha havia dito que compraria 138 jatos, mas recentemente se tornou vaga sobre quando e quantos caças acabará comprando.

Marinha russa efetuou disparos de advertência contra destróier britânico

O destroier da Marinha Real Britânica HMS Defender (Foto: Ben Mitchell/AP).

Defesa russa diz que efetuou disparos de alerta após a embarcação violar as águas territoriais do país; o Reino Unido negou, mas um correspondente da BBC a bordo do destroier enviou relato confirmando o incidente.

Novo porta-aviões britânico junta-se à OTAN com mensagem à China

Aeronaves F-35B Lightning II são vistas no convés do porta-aviões HMS Queen Elizabeth ao largo de Portugal, em 27 de maio de 2021 (Foto: Bart Biesemans/Reuters).

Ao longo do percurso de 26 mil milhas náuticas, o HMS Queen Elizabeth fará exercícios com navios das marinhas dos EUA, Singapura, Japão e Coréia do Sul.

Grupo de batalha do Reino Unido suspende em sua primeira implantação

A Rainha Elizabeth II visitou o porta-aviões da Marinha Real HMS Queen Elizabeth em Portsmouth em 22 de maio de 2021, horas antes do grupo de batalha suspender em seu primeiro desdobramento operacional. Durante a visita de 45 minutos, a rainha falou para uma plateia de marinheiros, aviadores e fuzileiros navais britânicos e americanos (Foto: Ministério de Defesa do Reino Unido).

O grupo de batalha britânico é tripulado por 3.700 militares das forças armadas do Reino Unido, EUA e Holanda, percorrerá 26.000 milhas náuticas nesta primeira implantação, e irá realizar mais de 70 engajamentos, exercícios e operações.

Caças F-35B dos US Marines são implantados no porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth

Foto: Military Network.

Caças F-35B do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA voaram 5.000 milhas do Arizona ao Reino Unido para embarcar no porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth, na primeira implantação de um esquadrão completo de F-35B dos EUA a bordo de um porta-aviões britânico.

O Duque de Edimburgo morre aos 99 anos; tinha o respeito das forças armadas britânicas

O Príncipe Philip, Duque of Edimburgo (Foto: AFP).

Philip serviu na Marinha Real durante a Segunda Guerra Mundial e, depois de encerrar sua carreira militar em 1951, manteve estreito contato com as Forças Armadas britânicas.

Radar Semanal 02/04/2021

O presidente russo, Vladimir Putin, em Sochi, Rússia, outubro de 2019 (Foto: Sergei Chirikov/Reuters).

As recentes implantações de tropas russas próximo da Ucrânia; uma análise do novo modelo de forças do Reino Unido; as apostas e barganhas que mantém Putin no poder na Rússia; Um sumário das capacidades desestabilizadoras do Irã no Oriente Médio; e o uso de inteligência artificial para analisar a cada vez maior massa de dados coletada pela marinha dos EUA.