Estudo: US Navy prioriza diversidade em detrimento das operações de combate

O cruzador da US Navy classe Ticonderoga, USS Bunker Hill (Foto: US Navy).

Uma série de incidentes e acidentes ao longo dos últimos anos levou congressistas americanos a encomendar um estudo sobre a US Navy; ao mesmo tempo, os programas de leitura oficiais priorizam ideologias progressistas sem apresentar contrapontos; As conclusões do relatório mostram uma tendência preocupante.

Um novo diabo

Imagem: Donna Kirby/Pixabay.

O sistema ideológico globalista: é melhor o diabo que conhecemos, ou um novo?

A violência social e o Direito contemporâneo

Imagem: Montagem com imagens Pixabay/Radware.

A violência como instrumento de poder é uma linguagem destrutiva na ordem social do Estado Democrático de Direito e se manifesta frequentemente através do terrorismo em suas diversas modalidades, desde bélicas até as mais sofisticadas no campo da cultura.

Política identitária e teoria racial crítica não tem lugar nas forças armadas dos EUA

O então vice-almirante da U.S. Navy, Michael M. Gilday, testemunha perante o Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA em 31 de julho de 2019 em Washington, D.C. (Foto: Win McNamee/Getty).

A beleza do serviço militar é que o objetivo uniforme e comum suplanta o agrupamento por identidades individuais de cor, classe, gênero ou religião. A teoria crítica da raça levaria os militares na direção errada ao desfazer décadas, ou mesmo séculos, de trabalho para promover uma cultura centrada em equipe.

O controle do “politicamente correto” sobre as forças armadas americanas é perigoso

Fuzileiros do 11º Batalhão de Logística de Combate do 1º Grupo de Logística dos Fuzileiros Navais dos EUA, observam o pôr do sol na praia em Camp Pendleton, Califórnia (Foto: Adam Dublinske/US Marine Corps).

O tenente-coronel Matthew Lohmeier foi demitido de seu posto após críticas à teoria racial. A demissão chamou a atenção para a aparente intenção do governo de introduzir ideologias marxistas equivocadas e altamente inflamatórias nas fileiras militares. O impulso implacável para impor a conformidade aos militares com uma narrativa preferencialmente esquerdista é preocupante.

Radar Semanal 28/05/2021

Paraquedista do Exército dos EUA designado para o 2º Batalhão, Regimento de Infantaria de Pára-quedistas 503 entra em contato com sua equipe durante um treinamento em 15 de abril de 2021 (Foto: Giovanny Lopez/US Army).

Nesta edição, o Radar Semanal traz uma análise sobre os custos da atualização da deterrência nuclear francesa; apresenta uma matéria sobre uma “misteriosa” base sendo construída numa ilha ao largo do Iêmen; uma avaliação de que o retorno ao JCPOA pode ser vantajoso para o Irã; e uma (auto) crítica pertinente aos rumos que os Estados Unidos vem tomando em relação a suas forças armadas

Comandante demitido em Fort Gordon fez “textos inadequados” para subordinada

O coronel Matthew Foulk, do US Army, foi destituído como comandante da 35ª Brigada de Sinaleiros em 17 de maio de 2021, após investigação por má conduta (Foto: US Army).

O coronel Matthew Foulk, do US Army, comandante da 35ª Brigada de Sinaleiros, foi destituído em 17 de maio de 2021 após uma investigação por má conduta.

O avanço globalista na civilização ocidental

As ideias e conceitos do Globalismo vem avançando no Ocidente, entrando em choque com os valores do Conservadorismo. Este artigo apresenta uma análise através da metodologia Global Business Network para avaliar fatores-chave de ambas as correntes de pensamento, procurando identificar os possíveis cenários que podem surgir a partir deste confronto.

Dezembro Negro

Os acontecimentos na última semana, em várias partes do Brasil, escancararam a anomia para a qual se encaminha o nosso país. É preciso que os cidadãos de bem se posicionem de forma firme de forma a derrotar a chamada “esquerda progressista”, condenando de forma veemente indivíduos e organizações que apoiam a bandidolatria, o garantismo, a corrupção e a impunidade que grassam em nossa sociedade.