Comandante demitido em Fort Gordon fez “textos inadequados” para subordinada

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O coronel Matthew Foulk, do US Army, foi destituído como comandante da 35ª Brigada de Sinaleiros em 17 de maio de 2021, após investigação por má conduta (Foto: US Army).

O coronel Matthew Foulk, do US Army (Foto: US Army).

Um ex-comandante de brigada em Fort Gordon, Geórgia, foi afastado de seu posto na semana passada porque uma investigação descobriu que ele interagia inadequadamente com uma oficial subalterna mulher, segundo um oficial do US Army com conhecimento direto da situação e um soldado da unidade.

O coronel Matthew Foulk, que liderou a 35ª Brigada de Sinaleiros, enfrenta uma ação administrativa adicional e pode ser forçado a se aposentar em um posto inferior, disse o oficial, que falou sobre os antecedentes para discutir questões pessoais.

“Não chegou ao componente [assédio sexual] em um sentido legal”, disse o oficial. “Mas, em um sentido coloquial, estava tendendo para essa área.”

Uma investigação encontrou “textos inadequados”, embora Foulk “não tenha feito propostas a nenhum subordinado”, acrescentou o oficial. O conteúdo desses textos não foi compartilhado com o Army Times.

Um líder da brigada corroborou essa narrativa dos acontecimentos, embora tenha pedido para não ser identificado porque não estava autorizado a falar com a mídia.


LIVRO RECOMENDADO

Band of Brothers (Companhia de Heróis)

  • Stephen E. Ambrose (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

Foulk foi suspenso pelo tenente-general Michael Kurilla, comandante do 18º Corpo Aerotransportado, enquanto a investigação ocorria.

Foulk não respondeu aos pedidos de comentários enviados por e-mail e por meio de sua cadeia de comando.

Quando Foulk foi demitido na semana passada, oficiais do US Army se recusaram a fornecer detalhes sobre o incidente, dizendo em um comunicado à imprensa que foi “devido a uma perda de confiança em sua capacidade de comandar após uma investigação decorrente de alegações de má conduta pessoal”.

Oficiais militares têm sido criticados publicamente nos últimos meses por sua confiança excessiva em termos como “perda de confiança” em comunicados à imprensa, que podem ser vistos como uma forma de ocultar a má conduta do pessoal sênior.

Certas interações entre superiores e tropas de patente inferior são proibidas nas forças armadas e estritamente policiadas pelo Código Uniforme de Justiça Militar, bem como pela política do US Army.

O assédio sexual também continua sendo um problema entre os militares. No entanto, uma solução potencial pode avançar depois que uma comissão de revisão do Pentágono fez a recomendação controversa nesta primavera de retirar dos comandantes a autoridade de supervisionar casos de má conduta sexual.

Fonte: Army Times.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a ChinaCurso de InteligênciaCurso sobre a RússiaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também