Além de regozijar-se com a vitória do Talibã: A visão alternativa de um paquistanês comum

Imagem: The Quint.

A fulminante tomada do poder pelo Talibã no Afeganistão, forçando os Estados Unidos a uma humilhante e caótica retirada de Cabul, gerou certa satisfação no Paquistão, ainda que isso não traga benefícios tangíveis ao país. No entanto, a resposta oficial paquistanesa foi comedida e baseada em realidades preocupantes.

Afeganistão: um eterno campo de batalha geopolítico

Um T-62 em posição de tiro em algum lugar nas montanhas Hindu Kush, no Afeganistão, entre 1984 e 1985 (Foto: Sergey Novikov, da 5º Cia. Aerotransportada do Exército Vermelho/Wikimedia Commons).

Em sentido geográfico e histórico, o Afeganistão é um lugar difícil e os afegãos são pessoas difíceis. Quando a tecnologia trava uma guerra contra as montanhas, geralmente as montanhas vencem. E no Afeganistão, foram as Hindu Kush que finalmente saíram vitoriosas. Inegavelmente, os Estados Unidos e a OTAN falharam nessa invasão equivocada, ficando com nada além de humilhação.

Paquistaneses usaram centrais telefônicas ilegais para obter informações militares da Índia

Foto: Travis Zimmerman/Pixabay.

Rede foi desmontada pela Inteligência Militar do exército indiano, que interceptou uma ligação recebida semanas antes; agentes paquistaneses se faziam passar por oficiais indianos.

Paquistão diz não às bases militares dos EUA em seu território

Foto: Anadolu.

Islamabad também nega acordo com Washington sobre futuras operações de contraterrorismo no Afeganistão.

Turquia vai exportar helicópteros T129 para as Filipinas, apesar de bloqueio à encomenda do Paquistão

O T129, de 5 toneladas, é um helicóptero bimotor multifunção produzido sob licença da empresa ítalo-britânica AgustaWestland e baseado no A129 Mangusta (Foto: Micaiah Anthony/USAF).

A TAI anunciou em abril que sua empresa havia obtido licenças de exportação dos EUA para vender seis helicópteros para as Filipinas, mas um mês antes, os pedidos pela mesma licença para vender o mesmo helicóptero ao Paquistão não foram aprovados.

Paquistão alerta países asiáticos contra “rivalidade de grande poder” na região

Primeiro-ministro paquistanês, Imran Khan (Foto: Anadolu).

A Ásia não deve se tornar palco de tensões induzidas de fora ou de dentro, diz o primeiro-ministro Imran Khan, acrescentando que as diferenças e disputas na Ásia exigem soluções asiáticas com base em valores e interesses asiáticos.

Radar Semanal 07/05/2021

O submarino JS Soryu (SS-501) da Força de Autodefesa Marítima do Japão chega a Guam para uma visita ao porto (Foto: Lauren Spaziano/US Navy).

Nesta edição do Radar, a China está em foco: uma avaliação sobre as possibilidades de defesa de Taiwan; uma análise sobre a aproximação, preocupante para os EUA, entre a China e a Rússia; e as possíveis atividades dos submarinos japoneses num eventual conflito com a China. E, para quebrar um pouco o assunto China, um artigo especula sobre a retirada dos EUA no Afeganistão e possíveis implicações para o Reino Unido e a OTAN.

Radar Semanal 30/04/2021

Porta-aviões chinês Liaoning (Foto: PLAN/CGTN).

Nesta edição do Radar: em meio a uma intensificação da pandemia, a Índia desconfia da ajuda chinesa; uma análise sobre a possível participação de Israel no ataque à instalação nuclear iraniana de Natanz e sua oposição ao JCPOA; uma análise dos desdobramentos conjuntos de porta-aviões; e um balanço da Guerra do Afeganistão.

Líder paquistanês saúda “iniciativa saudita de paz com o Irã”

O Primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan (Foto: Anadolu).

Delegações sauditas e iranianas se reuniram em Bagdá em 9 de abril; Imran Khan, primeiro-ministro do Paquistão, diz que a paz entre Riad e Teerã fortalecerá a comunidade muçulmana global.

Talibã adverte EUA contra extensão de presença militar

Militantes do Talibã (Foto: Ishtiaq Mahsud/AP).

O alerta chega no momento em que a Alemanha estende sua presença militar até 2022.