Democratas querem gastar mais do que Biden na aquisição de armas

O contratorpedeiro americano USS John S. McCain com navios da Marinha Real Australiana e da Força de Autodefesa Marítima do Japão no Mar do Sul da China para um exercícios em 19 de outubro de 2020 (Foto: US Navy).

A legislação provavelmente desencadeará debate partidário, como pontos o fechamento de Guantánamo, a exigência de pagamento de salário mínimo pelas empreiteiras de defesa, e a negativa de apoio às operações militares ofensivas no Iêmen.

Radar Semanal 07/05/2021

O submarino JS Soryu (SS-501) da Força de Autodefesa Marítima do Japão chega a Guam para uma visita ao porto (Foto: Lauren Spaziano/US Navy).

Nesta edição do Radar, a China está em foco: uma avaliação sobre as possibilidades de defesa de Taiwan; uma análise sobre a aproximação, preocupante para os EUA, entre a China e a Rússia; e as possíveis atividades dos submarinos japoneses num eventual conflito com a China. E, para quebrar um pouco o assunto China, um artigo especula sobre a retirada dos EUA no Afeganistão e possíveis implicações para o Reino Unido e a OTAN.

Japão intensifica suas capacidades de defesa em novos domínios

Aeronave de vigilância da Força de Autodefesa Marítima do Japão sobrevoa as disputadas ilhas que a China chama de Diaoyu e o Japão chama de Senkaku. Tóquio está aprimorando suas capacidades de defesa em novos domínios, com foco na defesa de seu território (Foto: Kyodo).

Analistas dizem que o foco de Tóquio no espaço, ciberespaço e espectro eletromagnético é puramente defensivo; País criou unidade de guerra eletrônica e os planos incluem mais satélites, hackers de combate e uma aeronave projetada para bloquear radares inimigos.

Analistas comentam o aumento de despesas militares da China em 2020

Foto: AFP.

Tensões nas fronteiras, atividades marítimas e medidas de contenção da pandemia, além de expansão e modernização, pressionaram o orçamento das forças armadas chinesas. A atuação dos Estados Unidos também teria contribuído para as despesas maiores.

Chefe do US Army diz que força ainda é pequena e retirada do Afeganistão não vai ajudar muito

Tropas americanas protegem perímetro em um local não revelado no Afeganistão, em 17 de março de 2020 (Foto: Sargento Joel Pfiester/USAF).

Segundo o secretário interino, o US Army não pode sustentar os atuais níveis de compromisso, ritmo operacional e prontidão com orçamento declinante; se o orçamento diminuir, o ritmo de operações terá que ceder.

Radar Semanal 05/03/2021

Neste radar, as perspectivas da ASEAN em relação ao gole em Mianmar; o aumento do orçamento de defesa chinês preocupa a Índia; após sanções contra funcionários russos, Moscou alerta Washington; lançador Patriot poderá disparar mísseis israelenses SkyCeptor; Rússia retoma projeto de míssil ar-ar de curto alcance; e uma análise do South China Morning Post sobre as políticas para fortalecimento das cadeias de abastecimento americanas de Biden.

Os crescentes gastos com Defesa em todo o mundo

O Cel Cav Paulo Filho analisa os crescentes gastos com Defesa em todo o mundo.