Estudo: US Navy prioriza diversidade em detrimento das operações de combate

O cruzador da US Navy classe Ticonderoga, USS Bunker Hill (Foto: US Navy).

Uma série de incidentes e acidentes ao longo dos últimos anos levou congressistas americanos a encomendar um estudo sobre a US Navy; ao mesmo tempo, os programas de leitura oficiais priorizam ideologias progressistas sem apresentar contrapontos; As conclusões do relatório mostram uma tendência preocupante.

Grã-Bretanha poderia desacelerar suas compras de F-35

F-35B Lightning II conduzindo testes a bordo do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth, em 13 de outubro de 2018 (Foto: Royal Navy).

A Grã-Bretanha havia dito que compraria 138 jatos, mas recentemente se tornou vaga sobre quando e quantos caças acabará comprando.

Posicionar uma brigada do US Army em Taiwan e outras formas de conter a China sendo consideradas

Soldados da Força-Tarefa Spartan da 155ª Equipe de Combate de Brigada Blindada do US Army em exercício de fogo real em 2018 perto de Alexandria, Egito (Foto: James Lefty Larime/US Army).

Essa decisão provavelmente abandonaria a atual política de ambiguidade estratégica em relação a Taiwan, que intencionalmente não deixa claro se os EUA defenderiam a ilha em caso de conflito.

Robôs aéreos e submarinos serão orgânicos nos futuros navios da Rússia

Foto: Sergei Bobylev/Tass.

Chefe de pesquisa russo diz que a concepção do navio do futuro será influenciada pela necessidade de maior resistência em combate em meio ao uso de armas inteligentes e hipersônicas pelo inimigo.

Sete aeronaves de combate do PLA entram na ADIZ de Taiwan dois dias após surtida recorde

O caça J-7, mais antigo, estava entre os sete aviões na última investida chinesa na ADIZ de Taiwan (Foto: SCMP).

Taiwan enviou jatos, emitiu avisos de rádio mobilizou sistemas de mísseis de defesa aérea; sobrevoo incluiu quatro caças J-7 antigos juntamente com jatos modernos, e analistas dizem que poderia ser um teste de interoperabilidade.

Taiwan relata a maior incursão da Força Aérea chinesa

Caças Shenyang J-16 (Foto: PLAAF).

Foi a maior incursão chinesa na ADIZ de Taiwan desde o recorde anterior de 25 aeronaves relatado em 12 de abril passado.

A US Navy está pronta para reparar navios danificados em combate em tempo de guerra?

Marinheiros se preparam para simulação de emergência de combate a bordo do destroier USS Mason durante exercício de controle de danos em 2014 (Foto: US Navy).

Relatório do GAO (Government Accountability Office) afirma que, após a Guerra Fria, a US Navy alienou muitas de suas capacidades de reparo de navios em combate.

Comandante dos US Marines diz que o Corpo precisa restaurar sua competência anfíbia

Veículos de assalto anfíbio transportando uma unidade de fuzileiros para o navio de assalto anfíbio USS Peleliu durante o exercício RIMPAC 2014 (Foto: Dustin Knight/US Navy).

O comandante dos US Marines, general David Berger, disse que no início de sua carreira realizava treinamentos trimestrais de operações anfíbias, o que os fuzileiros navais modernos não fazem.

Radar Semanal 04/06/2021

Artigos recentes da internet na China alegam que o bombardeio da OTAN em 1999 contra a embaixada de Pequim na Iugoslávia foi intencional, alegando que a embaixada abrigava secretamente os restos mortais de um caça stealth americano F-117 Nighthawk abatido na região semanas antes (Foto: Reuters).

No Radar desta semana, um artigo questiona se não há interesses escusos por trás das críticas ao F-35; uma análise geopolítica dos interesses no Chifre da África; uma avaliação do recente pedido de desculpas francês pelo genocídio em Ruanda; e uma curiosa história, talvez incrível demais, sobre qual seria a verdadeira razão do bombardeio da embaixada chinesa na Iugoslávia em 1999.

Tensão se agrava entre Armênia e Azerbaijão em meio a acusações

Soldados de etnia armênia fumam do lado de fora de um hospital em Nagorno-Karabakh (Foto: Reuters).

Armênia afirma que um soldado de seu país foi morto em tiroteio com forças azeris na fronteira leste com o Azerbaijão, que acusa as forças armênias de disparar contra suas tropas na fronteira.