Sete aeronaves de combate do PLA entram na ADIZ de Taiwan dois dias após surtida recorde

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O caça J-7, mais antigo, estava entre os sete aviões na última investida chinesa na ADIZ de Taiwan (Foto: SCMP).

Caças J-7, mais antigos, estavam entre as sete aeronaves da última investida chinesa na ADIZ de Taiwan (Foto: SCMP).

Sete aeronaves militares chinesas, incluindo caças, entraram na zona de identificação de defesa aérea do sudoeste de Taiwan (ADIZ) na quinta-feira, o quarto dia consecutivo em que ocorrem tais incidentes.

De acordo com relatório do Ministério da Defesa Nacional de Taiwan (MND), as aeronaves chinesas envolvidas incluíam uma aeronave de guerra eletrônica Y-8, dois caças J-16 e quatro caças J-7.

A Força Aérea de Taiwan respondeu enviando caças para monitorar as aeronaves chinesas, emitindo alertas de rádio e mobilizando meios de defesa aérea até que os aviões chineses deixassem a área, disse o MND.

A entrada de aeronaves chinesas na quinta-feira ocorreu depois que a China enviou 28 aviões militares para a parte sul da autodeclarada ADIZ de Taiwan na terça-feira, um movimento amplamente visto como Pequim alertando o partido governante pró-independência de Taiwan contra tentativas de independência formal, depois que a cúpula do G7 no Reino Unido emitiu um comunicado que destacou, pela primeira vez, a importância de manter a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan.


LIVRO RECOMENDADO

A caminho da guerra: Os Estados Unidos e a China conseguirão escapar da Armadilha de Tucídides?

  • Graham Allison (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

Em relação a essas atividades militares em geral, Lin Ying-yu, professor assistente no Instituto de Assuntos Estratégicos e Internacionais da Universidade Nacional de Chung Cheng, disse à CNA que os militares chineses podem estar testando a interoperabilidade de aeronaves de duas gerações diferentes, usando sua própria aeronave de guerra eletrônica.

O J-7 foi comissionado pela primeira vez em 1967 e está sendo gradualmente aposentado devido à idade, enquanto o J-16 entrou em serviço em 2015.

Su Tzu-yun, analista sênior do Instituto de Defesa Nacional e Pesquisa de Segurança (INDSR), concordou com a visão de Lin e disse que o Exército de Libertação Popular (PLA) poderia estar testando a capacidade do J-16 contra interferência eletrônica.

Quanto ao aparecimento do J-7 naquela parte do Mar do Sul da China, Su especulou que o PLA poderia estar coletando dados de voo no ambiente marítimo para calibração de instrumentos, já que essas aeronaves normalmente fazem seus exercícios sobre terra.

Fonte: SCMP / Focus Taiwan.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também