Porta-aviões USS Ronald Reagan opera na 5ª Frota em apoio à retirada do Afeganistão

O porta-aviões USS Ronald Reagan navegando no Mar do Sul da China em 18 de junho de 2021 (Foto: Rawad Madanat/US Navy).

A US Navy disse que o porta-aviões irá operar com parceiros regionais e apoiar as forças americanas e da coalizão na retirada das tropas do Afeganistão.

Houthis e coalizão liderada pelos sauditas parecem próximos de acordo de paz

Mohamed Abdulsalam, porta-voz do movimento Houthi, em Sanaa, Iêmen, em imagem de 2016 (Foto: Khaled Abdullah/Reuters).

Um acordo seria um avanço nos esforços liderados pela ONU para acabar com a guerra, daria ao governo Biden uma vitória na política externa e aliviaria as tensões entre os sauditas e o Irã.

Biden parece pronto para ampliar a presença das tropas dos EUA no Afeganistão

Nesta foto de arquivo de 28 de novembro de 2019, soldados armados montam guarda na carreata enquanto o presidente Donald Trump fala durante uma visita surpresa do Dia de Ação de Graças às tropas no Campo Aéreo de Bagram, Afeganistão (Foto: Alex Brandon/AP).

Militares argumentam que partir agora, com o Talibã em uma posição de força e o governo afegão frágil, arrisca a perda do que foi ganho em 20 anos de combates.

Dois Victor, duas guerras

“V-Bomber” Handley Page Victor K.Mk.2 (Foto: Ur-1988/GoodFon.com).

As origens do Handley Page Victor e os “V-Bombers” e a história de dois Victor que operaram tanto na Guerra das Falklands/Malvinas como na Guerra do Golfo. Hoje ambas repousam em museus da RAF, onde recebem milhares de visitas todos os anos.

Arábia Saudita derruba oito drones Houthi

Foto: Anadolu Agency.

Ministério da Defesa saudita disse que o ataque não visa apenas o reino, mas também o centro nevrálgico da economia global e a segurança e estabilidade das exportações de petróleo.

A estratégia americana para o Irã

Embora a política de Joe Biden para o Irã não esteja bem definida, o que parece claro é que há um imperativo político de desfazer as políticas implementadas por Donald Trump. O retorno ao status da era Obama parece ser o desejo implícito, mas na atual configuração geopolítica da região, essa estratégia provavelmente é impossível.

Radar Semanal 26/02/2021

No Radar Semanal de hoje, destacamos dois fatos que consideramos marcantes: o ataque americano à instalações na Síria, a primeira ação militar de Joe Biden, e a escalada da crise em Mianmar, cuja solução parece cada vez mais distante. Selecionamos três artigos sobre cada assunto, procurando trazer visões distintas.

As primeiras ações de Biden no Oriente Médio

Os movimentos iniciais de Joe Biden em relação ao Irã e ao Oriente Médio parecem indicar uma mudança radical na política externa americana para a região. É difícil prever quais poderão ser os resultados efetivos, mas, como sempre pode acontecer, ainda que uma política pareça virtuosa seus resultados podem se distanciar muito das intenções.