Arábia Saudita derruba oito drones Houthi

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Foto: Anadolu Agency.

Foto: Anadolu Agency.

A Arábia Saudita disse na sexta-feira que derrubou oito drones carregados de explosivos lançados pelo grupo rebelde Houthi do Iêmen em direção ao reino, informou a mídia local.

“As Forças Reais de Defesa Aérea Saudita e a Força Aérea Real Saudita foram capazes de interceptar e destruir oito drones lançados pela milícia Houthi em direção ao Reino, em flagrante violação do direito internacional e humanitário”, a Agência de Imprensa Saudita oficial (SPA) citou o Ministério das Relações Exteriores.

O ministério também afirmou que o grupo Houthi lançou três mísseis balísticos contra a Arábia Saudita, um dos quais caiu na província de Al-Jawf no Iêmen e os outros dois em “duas áreas de fronteira desabitadas”.

Em uma declaração separada, o Ministério da Defesa da Arábia Saudita disse que este ataque “não visa apenas o Reino, mas também o centro nevrálgico da economia global, a segurança das exportações de petróleo, a estabilidade do suprimento de petróleo e a liberdade de navegação e comércio internacional”.

Na madrugada de sexta-feira, Riad anunciou que um incêndio eclodiu em uma instalação de petróleo depois de ter sido alvo de um projétil na região sul de Jizan. Nenhuma vítima foi relatada.

Em um comunicado na manhã desta sexta-feira, o grupo Houthi do Iêmen anunciou como alvo, com 18 drones e oito mísseis balísticos, pontos vitais na Arábia Saudita, incluindo uma série de instalações da empresa petrolífera Aramco e a base aérea King Abdulaziz em Dammam.

No início desta semana, a Arábia Saudita propôs um cessar-fogo supervisionado pela ONU entre o governo do Iêmen apoiado pelos sauditas e os rebeldes Houthi, que são apoiados pelo Irã, a reabertura do Aeroporto Internacional de Sana’a e o início de negociações.
O Iêmen tem sido devastado pela violência e instabilidade desde 2014, quando rebeldes Houthi capturaram grande parte do país, incluindo a capital Sana’a.

Uma coalizão liderada pela Arábia Saudita com o objetivo de restabelecer o governo iemenita piorou a situação, causando uma das piores crises humanitárias do mundo, com 30 milhões de pessoas, representando 80% da população, que necessitam de assistência humanitária e proteção.

Fonte: Agência Anadolu.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também