Metrô de Nova York: Sistema mostra integração

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Policiais perto do local de tiroteio em uma estação de metrô no bairro do Brooklyn, em Nova York, EUA, em 12 de abril de 2022 (Today).

Policiais perto do local de tiroteio em uma estação de metrô no bairro do Brooklyn, em Nova York, EUA, em 12 de abril de 2022 (Today).

A sistemática de ações estabelecidas pelo NIMS fornece às partes o vocabulário, sistemas e processos compartilhados para atender a incidentes de forma coordenada.


Ontem, na ocorrência de ataque ativo no Metrô de Nova York, foi estabelecido o Sistema Nacional de Gerenciamento de Incidentes (NIMS, National Incident Management System), que basicamente consiste em orientar e organizar todos os níveis de governo, organizações não governamentais, e inclusive o setor privado, para trabalharem juntos na prevenção, proteção, mitigação e pronta resposta do poder público para a mais rápida e correta medida na recuperação de incidentes.

A sistemática de ações estabelecidas pelo NIMS fornece às partes interessadas em toda a comunidade (todos os setores que possam estar envolvidos na resolução do incidente) o vocabulário, sistemas e processos compartilhados para fornecer com sucesso os recursos descritos no Sistema Nacional de Preparação. O NIMS define os sistemas operacionais que orientam como o pessoal deve trabalhar em conjunto durante os incidentes.


Tenente John Mahon no Centro de Operações Conjuntas da Polícia de Nova York (Vildana Hajric/Medium).

Foi estabelecido o MACTAC (Capacidade de Resposta Contraterrorista Frente a Múltiplos Ataques), através das equipes da Unidade de Serviço de Emergência (ESU, Emergency Service Unit), equipes de resposta híbrida (treinados em várias disciplinas para garantir que os policiais estejam preparados para todas as situações encontradas), atuando em rede em toda a cidade de Nova York em tempo real.

Uma ESU opera sob a direção do pessoal de comando e responde a emergências e situações de alto risco que ocorram fora do escopo de funções de patrulhamento de resposta e unidades de investigação criminal. Os membros da ESU treinam continuamente, tanto internamente, como com outras unidades especializadas locais, estaduais, federais e militares e, às vezes, membros de uma equipe de busca e resgate urbano (USAR, Urban search and rescue) da Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (FEMA, Federal Emergency Management Agency).

A ESU geralmente fornece serviços análogos às funções de uma equipe de armas e táticas especiais (SWAT). Uma ESU responde a operações táticas de alto risco envolvendo suspeitos barricados, situações de reféns, serviço de mandado de alto risco, controle tático de multidões e operações de proteção de dignitários/VIP. A ESU também fornece respostas de nível técnico e operacional a materiais perigosos (HAZMAT, Hazardous Material) e incidentes envolvendo a presença de agentes químicos.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

V-UnitCanal do Velho GeneralHackerSecPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisPrograma Café com Defesa

Veja também