UE visa setores-chave da Bielorrússia após desvio de aeronave da Ryanair

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Foto: Andrius Sytas/Reuters.

Foto: Andrius Sytas/Reuters.

Os ministros das Relações Exteriores da União Européia concordaram na segunda-feira com sanções contra setores-chave da economia da Bielorrússia, conforme o bloco aumenta a pressão sobre o presidente Alexander Lukashenko após o pouso forçado da aeronave da Ryanair, disseram diplomatas.

Os ministros reunidos em Luxemburgo apoiaram medidas abrangentes visando as principais fontes de receita para o regime bielorrusso: exportações de fertilizantes potássicos, indústria do tabaco, petróleo e produtos petroquímicos e o setor financeiro, disseram diplomatas.

Autoridades disseram que as medidas – incluindo a proibição de vendas de equipamentos de vigilância para Bielorrússia e o aumento do embargo de armas – devem ser formalmente adotadas pelo bloco de 27 nações nos próximos dias.

Os ministros também assinaram formalmente a colocação de 86 indivíduos e entidades adicionais na Bielorrússia em uma lista negra de congelamento de ativos e proibição de vistos, com os nomes a serem publicados no jornal oficial da UE no final do dia.

Sete dos indivíduos que estão sendo sancionados estão diretamente ligados ao pouso forçado do jato de passageiros da Ryanair no mês passado e o restante é devido à repressão do governo contra a oposição, disseram diplomatas.

“Continuaremos consistentemente no caminho de sancionar Lukashenko e seu regime. Não vamos mais sancionar apenas indivíduos, mas agora também imporemos sanções setoriais”, disse o ministro das Relações Exteriores alemão, Heiko Maas, antes da reunião. “Queremos contribuir desta forma para o esgotamento financeiro deste regime”.

O chefe de política externa da UE, Josep Borrell, havia dito anteriormente que a definição do pacote de sanções deveria ser concluído após uma cúpula dos líderes do bloco em Bruxelas no final desta semana.

“As sanções são uma forma de pressionar o governo da Bielo-Rússia”, disse Borrell a jornalistas. “Vamos prejudicar fortemente a economia da Bielorrússia.”


LIVRO RECOMENDADO

Continente selvagem: O caos na Europa depois da Segunda Guerra Mundial

  • Keith Lowe (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

“Bala de prata”

O homem forte da Bielorrússia, Lukashenko, provocou indignação internacional ao despachar um caça a jato em 23 de maio para interceptar um avião da Ryanair que voava da Grécia para a Lituânia.

Quando o avião foi forçado a pousar em Minsk, a Bielorrússia prendeu o dissidente Roman Protasevich e sua namorada, Sofia Sapega, que estavam a bordo.

No ano passado, a UE aplicou sanções a 88 indivíduos – incluindo Lukashenko e seu filho – por causa de uma repressão brutal aos protestos desde que o veterano líder reivindicou vitória nas eleições de agosto consideradas fraudulentas pelo Ocidente. Lukashenko, governante da Bielorrússia desde 1994, até agora conseguiu minimizar a pressão com o apoio de seu principal aliado, a Rússia.

Antes de suas discussões, os ministros da UE se reuniram com a exilada líder da oposição bielorrussa Svetlana Tikhanovskaya, que insiste que ganhou por direito a votação do ano passado.

“As sanções não são uma bala de prata, mas podem ajudar a acabar com a violência e libertar pessoas”, postou Tikhanovskaya no Twitter.

O ministro das Relações Exteriores da Lituânia, Gabrielius Landsbergis, disse que também levantaria com seus colegas da UE a questão de um aumento repentino de imigrantes, principalmente iraquianos e sírios, entrando no país vindos da Bielorrússia.

Landsbergis acusou as autoridades bielorrussas de canalizar os migrantes para revidar seu vizinho por liderar o impulso para punir Minsk.

Ele alertou que o fluxo pode aumentar depois que as sanções forem aprovadas e que a Lituânia “pode ​​precisar de ajuda e assistência de outros países europeus”.

Fonte: France 24 / AFP.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também