Cúpula da OTAN está em andamento com a Rússia e China na agenda

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Jens Stoltemberg, secretário-geral da OTAN (Foto: Anadolu).

Jens Stoltemberg, secretário-geral da OTAN (Foto: Anadolu).

Os líderes da OTAN estão se reunindo em Bruxelas na segunda-feira para realizar sua primeira cúpula presencial desde 2018, com a Rússia e a China no topo da agenda, de acordo com o alto funcionário da aliança.

“Os líderes discutirão uma ampla gama de questões, entre elas a Rússia e nosso relacionamento com a Rússia, que está em seu ponto mais baixo desde o fim da Guerra Fria devido às ações agressivas da Rússia”, disse o Secretário-Geral da OTAN, Jens Stoltenberg, a repórteres a caminho da cúpula.

De acordo com Stoltenberg, a cúpula será uma grande oportunidade para os líderes da OTAN trocarem opiniões sobre essas questões antes de uma reunião entre o presidente dos EUA, Joe Biden, e seu homólogo russo, Vladimir Putin, em Genebra, marcada para a próxima quarta-feira.

Stoltenberg também disse que os líderes abordariam a estratégia da aliança militar vis-à-vis o poder ascendente da China, apresentando desafios e oportunidades ao mesmo tempo. A OTAN deve cooperar com o país asiático no controle de armas e na luta contra as mudanças climáticas, explicou Stoltenberg.


LIVRO RECOMENDADO

A caminho da guerra: Os Estados Unidos e a China conseguirão escapar da Armadilha de Tucídides?

  • Graham Allison (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

Os líderes aliados irão também discutir a “ambiciosa e progressiva agenda da OTAN para 2030”, que procura alargar o conceito de segurança ao enfrentar os desafios das alterações climáticas, com enfoque na resiliência e no desenvolvimento tecnológico.

Questionado sobre a retirada da OTAN do Afeganistão, Stoltenberg disse que a aliança estava agora trabalhando em “como podemos fornecer treinamento, estando fora do conflito, para as forças de segurança afegãs” e “manter o apoio para a infraestrutura crítica, incluindo o aeroporto [de Cabul]”.

“A OTAN está planejando dar apoio, também alguns aliados da OTAN estão agora em diálogo direto, incluindo os EUA e a Turquia”, disse ele, destacando que o apoio da OTAN ao Afeganistão também foi “importante para os aliados da OTAN e a comunidade internacional”.

Fonte: Anadolu.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também