Caça russo Su-57 de quinta geração pode transportar até quatro drones de ataque

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Jato Sukhoi Su-57 e drone de ataque pesado Okhotnik (Foto: Ministério da Defesa Russo/Tass).

Jato Sukhoi Su-57 e drone de ataque pesado Okhotnik (Foto: Ministério da Defesa Russo/Tass).

Um piloto do jato de combate de quinta geração Sukhoi Su-57 coordenará simultaneamente as operações dos quatro últimos drones pesados de ataque Okhotnik, disse uma fonte da indústria de construção de aeronaves à agência Tass nesta terça-feira.

“Atualmente, as opções para controlar os drones de ataque a partir do cockpit de um Su-57 estão sendo elaboradas. Espera-se que um caça a jato carregue de dois a quatro drones Okhotnik”, disse a fonte. A Tass ainda não obteve confirmação oficial desta informação.

Como a assessoria de imprensa da United Aircraft Corporation (UAC) da Rússia disse anteriormente à Tass, o mais recente drone Okhotnik atingirá alvos aéreos e terrestres em uma interação centrada em rede com um caça Su-57. Em seu emprego conjunto com o caça de quinta geração, os drones Okhotnik vão lidar com uma ampla gama de tarefas, atacando alvos aéreos e terrestres sob o comando de um piloto de Su-57.

O Sukhoi Su-57 é um caça multifuncional de quinta geração de fabricação russa, projetado para destruir todos os tipos de alvos aéreos, terrestres e navais. O jato possui tecnologia furtiva com amplo uso de materiais compostos, é capaz de desenvolver velocidade de cruzeiro supersônica (supercruise) e está equipado com os mais avançados equipamentos radioeletrônicos, incluindo um poderoso computador de bordo (o chamado segundo piloto eletrônico), o sistema de radar e algumas outras inovações, em particular, o armamento colocado dentro de sua fuselagem.


LIVRO RECOMENDADO

Drones: Guia das aeronaves não tripuladas que estão tomando conta de nossos céus

  • Martin J. Dougherty (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

O Su-57 subiu aos céus pela primeira vez em 29 de janeiro de 2010. Comparado aos seus antecessores, o Su-57 combina as funções de aeronave de ataque e caça, utilizando materiais compostos e tecnologias inovadoras. A configuração aerodinâmica garante o baixo nível de assinatura de radar e infravermelho.

O armamento do avião incluirá, em particular, mísseis hipersônicos. O caça foi testado com sucesso em condições de combate na Síria. As Forças Armadas russas receberam o primeiro Su-57 em 2020.

O S-70 “Okhotnik” desenvolvido pelo Sukhoi Design Bureau apresenta tecnologia furtiva e o design de asa voadora (sem cauda), o que reduz sua assinatura radar. Segundo dados de fontes abertas, o drone tem peso de decolagem de 20 toneladas e pode desenvolver uma velocidade em torno de 1.000 km/h.

O drone de ataque pesado Okhotnik realizou seu voo de estreia em 3 de agosto de 2019. O voo durou mais de 20 minutos sob o controle de um operador. Em 27 de setembro de 2019, o Okhotnik realizou um voo junto com um caça Su-57. O drone manobrou no ar no modo automatizado a uma altitude de cerca de 1.600 metros, e seu voo durou mais de 30 minutos.

As entregas em série de drones Okhotnik às tropas russas estão programadas para começar em 2024.

Fonte: Tass.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a ChinaCurso de InteligênciaCurso sobre a RússiaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também