Rouhani afirma que os EUA concordaram em suspender as principais sanções ao Irã

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O presidente iraniano, Hassan Rouhani (Fars News Agency).

O presidente iraniano, Hassan Rouhani (Fars News Agency).

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, declarou que em princípio um acordo foi alcançado com os Estados Unidos, mediante o qual Washington removerá uma série de sanções contra Teerã.

Em uma reunião de gabinete televisionada em 20 de maio, Rouhani disse que o alívio cobrirá as indústrias de petróleo e petroquímica, transporte marítimo, seguros e setores bancários. O presidente iraniano observou que há apenas alguns detalhes que precisam ser negociados.

Os comentários foram feitos um dia depois que os negociadores iranianos concluíram uma quarta rodada de negociações em Viena com representantes do Reino Unido, França, Rússia, China e Alemanha. Quase todas as partes, incluindo o representante da UE – como presidente da reunião – sinalizaram otimismo em relação a um acordo. Os negociadores agora retornam às suas respectivas capitais para “consultas finais” antes de fechar um acordo final.

Os Estados Unidos participaram indiretamente das negociações, que visam reviver o acordo nuclear com o Irã, também conhecido como Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA). Washington exige que Teerã retome sua conformidade total com o JCPOA, inclusive encerrando seu enriquecimento de urânio de 60%. Em troca, o Irã vem exigindo a remoção total de todas as sanções que foram restabelecidas depois que o governo dos Estados Unidos desistiu do acordo em 2018.


LIVRO RECOMENDADO

A Revolução Iraniana

  • Osvaldo Coggiola (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

O caminho para um acordo revivido tem sido acidentado, no entanto. O Irã tem insistido que as sanções dirigidas a indivíduos e certas entidades também devem ser suspensas. Entre essas entidades estão o escritório do líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, e o Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica (IRGC). Durante seu discurso de 20 de maio, Rouhani não especificou se os Estados Unidos concordaram em remover também essas sanções contenciosas.

Antes do lançamento das novas negociações, o líder supremo do Irã estabeleceu publicamente uma condição dura para os negociadores iranianos: não concordar com nada menos do que a remoção completa de todas as sanções. Ele também enfatizou que Teerã não retornará ao cumprimento do JCPOA antes de verificar totalmente o alívio das sanções dos EUA.

A mesma linha foi repetida mais alto por outros linha-dura, incluindo no parlamento do Irã, que parece mais do que determinado a bloquear um acordo EUA-Irã antes do final do mandato de Rouhani em agosto. Somente na segunda-feira, mais de dois terços dos legisladores divulgaram um comunicado lembrando ao presidente que, em sua opinião, o alívio das sanções ocorre somente depois que “todas as sanções” forem suspensas.

No entanto, a confiança de Rouhani sobre um acordo próximo pode ser um sinal de que Khamenei pode ter baixado a barra e modificado sua abordagem anterior e não comprometedora, aceitando algum alívio com sanções parciais para aliviar a economia prejudicada em vez de aderir ao pacote ideal completo ao qual aspirava.

Fonte: Al-Monitor.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também