USAF foca em fundos de construção para 2022 na Europa, Pacífico e em armas nucleares

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Linha de voo de F-16C do 457º Esquadrão Expedicionário de Caça da USAF na 71ª Base Aérea em Campia Turzii, na Romênia, em junho de 2019 (Foto: Megan Crusher/USAF).

Linha de voo de F-16C do 457º Esquadrão Expedicionário de Caça da USAF na 71ª Base Aérea em Campia Turzii, na Romênia, em junho de 2019 (Foto: Megan Crusher/USAF).

A USAF planeja canalizar os dólares da construção militar do próximo ano para reforçar suas instalações na Europa e no Indo-Pacífico, bem como se preparar para trazer uma nova geração de armas nucleares, disseram autoridades aos congressistas na terça-feira.

A Força Aérea e a Força Espacial dos EUA permanecem “comprometidas com os esforços da Iniciativa Europeia [de dissuasão] para reassegurar os aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte e outros parceiros europeus do compromisso dos Estados Unidos com a segurança coletiva e integridade territorial”, segundo Jennifer Miller, chefe de instalações assistente em exercício da USAF, e o brigadeiro-general William Kale, vice-chefe de gabinete de logística, engenharia e proteção da força, disseram a um subcomitê de verbas da Câmara em depoimento por escrito.

Quanto o serviço deseja em 2022 será revelado na solicitação de orçamento total do presidente Joe Biden, que deve sair no final deste mês. Em 2020, a USAF recebeu US$ 5,3 bilhões para construção militar – quase quatro vezes mais do que os US$ 1,4 bilhão solicitados em 2021, que ficaram em linha com o pedido usual do MILCON de cerca de US$ 1 bilhão a US$ 2 bilhões.

“[O Departamento da Força Aérea] espera que o programa FY2022 retorne a um nível semelhante aos pedidos de financiamento de anos anteriores”, escreveram Miller e Kale. “Este retorno aos níveis de financiamento anteriores apoiará o compromisso [do departamento] em cumprir os requisitos da Estratégia de Defesa Nacional e postura para a luta de ponta no futuro.”

Os líderes militares dos EUA estão particularmente preocupados com as instalações europeias, já que o Departamento de Defesa busca conter a influência russa na região, e com as instalações no Pacífico que seriam fundamentais para superar a China.

Por exemplo, a Força Aérea anunciou recentemente que gastaria US$ 152 milhões para continuar estabelecendo uma presença duradoura na 71ª Base Aérea em Campia Turzii, na Romênia, que está projetada para hospedar aviões de transporte C-5 e C-17, drones MQ-9 Reaper e jatos de combate.


LIVRO RECOMENDADO

F-16 Fighting Falcon: American all-purpose combat machine

*** Pré-venda 15 novembro 2021 ***

  • Bertie Simmonds (Autor)
  • Em Inglês
  • Capa dura

Os próximos projetos incluem uma plataforma de carga que pode suportar explosivos, uma nova instalação de armazenamento de combustível, uma instalação de esquadrão de comando e controle e muito mais. A Força Aérea imagina Campia Turzii como um “centro rotativo” onde tropas e aeronaves desdobradas circularão pela Europa.

“O programa de EDI inclui a construção de infraestrutura de aeródromo e instalações de apoio necessárias para sustentar as operações de combate e missões de vigilância da Força Aérea, ao mesmo tempo em que aumenta as capacidades logísticas no teatro”, disse o capitão Scott Raymond, da US Navy, engenheiro-chefe da Diretoria de Logística do Comando Europeu dos Estados Unidos.

Em preparação para novas frotas de mísseis nucleares lançados de solo e por meios aéreos, e o novo bombardeiro B-21, a USAF está preparando as bases para uma revisão das instalações de mísseis balísticos intercontinentais e hangares de aeronaves. As autoridades elogiaram o Congresso pelas disposições legislativas que, segundo ele, abrirão mais facilmente o caminho para o Dissuasor Estratégico com Base em Terra.

Problemas de habitação

Algumas dessas prioridades exigirão trocas em outras regiões. A Força Aérea apontou para Okinawa, Japão, onde enfrenta altos custos de construção para as mais de 7.800 residências de famílias militares que administra.

Miller e Kale sugeriram o cancelamento de projetos que o serviço não precisa mais pagar por edifícios no Japão, particularmente aqueles tornados desnecessários por mudanças na postura do Pentágono em toda a Europa.


LIVRO RECOMENDADO

A caminho da guerra: Os Estados Unidos e a China conseguirão escapar da Armadilha de Tucídides?

  • Graham Allison (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

“A DAF continua a concentrar o investimento no inventário de moradias de Okinawa para fornecer moradia adequada para todos os membros do serviço e suas famílias que residem na ilha”, escreveram eles.

Em depoimento separado escrito para a mesma audiência, a Sargento-Chefe da Força Aérea JoAnne Bass e o Sargento-Chefe da Força Aérea Roger Towberman observaram que quase 20% – ou 2.900 das 15.273 casas controladas pela Força Aérea – ficam aquém do Padrões de condição de habitação do Pentágono. Eles esperam que esse número suba para 28% até 2026.

A Força Aérea já enfrenta um acúmulo de reparos adiados de instalações que custam mais de US$ 30 bilhões. Em 2019, ela disse que planejava demolir 5% das instalações não essenciais, em vez de arcar com o custo de restaurá-las. Desastres naturais, principalmente o furacão Michael em 2018, aumentaram consistentemente o preço das correções necessárias nos últimos anos.

Alguns legisladores duvidam que o serviço esteja levando a sério suas enormes necessidades de infraestrutura ou pedindo para financiar as prioridades certas, citando problemas corrigidos com remendos. A presidente do painel, Dep. Debbie Wasserman Schultz, Democrata/Florida, disse que cerca de um terço das instalações da USAF são classificadas como ruins ou com falhas.

“Se você tem um lugar decadente … por que não está pedindo para consertá-lo?” acrescentou o deputado John Carter, Republicano/Texas. “Se essas bases não são importantes para a Força Aérea, então talvez devêssemos [ter um realinhamento e fechamento de bases e] economizar algum dinheiro.”

Fonte: Air Force Times.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

V-UnitCanal do Velho GeneralAmazonPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisPrograma Café com Defesa

Veja também