Dois mortos e oito feridos em ataque com foguetes no sul de Israel

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Foguetes lançados a partir da Faixa de Gaza em direção a Israel (Foto: AP).

Foguetes lançados a partir da Faixa de Gaza em direção a Israel (Foto: AP).

Pelo menos duas pessoas foram mortas e outras oito ficaram feridas nesta terça-feira, quando um foguete disparado de Gaza atingiu uma fábrica de embalagens no sul de Israel. Várias pessoas ficaram feridas, todos trabalhadores tailandeses.

Um foguete também atingiu um bloco de apartamentos em construção na cidade de Ashdod, quando maciças barragens foram disparadas no sul. Não houve relatos imediatos de lesões. Os foguetes também tiveram como alvo Be’er Sheva, onde o sistema Iron Dome foi capaz de realizar a interceptação.

No início da tarde desta terça-feira, um soldado das IDF foi ferido levemente por fogo de morteiros ​da Faixa de Gaza no cruzamento de Erez entre Israel e o enclave administrado pelo Hamas.

Moradores das comunidades israelenses dentro de um raio de quatro quilômetros da fronteira de Gaza foram mandados para abrigos antiaéreos às 13h00 desta terça-feira até novo aviso. A ordem veio quando o Hamas retomou o uso de foguetes e morteiros na área.

Os ataques de Gaza recomeçaram por volta do meio-dia, após um intervalo de seis horas, visando comunidades próximas à fronteira, bem como a cidade de Ofakim, a cerca de 20 quilômetros da Faixa. Israel também continuou a atacar alvos na Faixa de Gaza hoje, derrubando um prédio de seis andares que abrigava bibliotecas e centros educacionais pertencentes à Universidade Islâmica.

Israel avisou os residentes do prédio com antecedência, para evacuação, e não houve relatos de vítimas. Israel disse que tem como alvo os grupos terroristas, seus túneis e os lançadores de foguetes em todo o território.


LIVRO RECOMENDADO

A porta dos leões: Nas linhas de frente da Guerra dos Seis Dias

  • Steven Pressfield (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

O IDF disse que, desde as primeiras horas da manhã, atingiu nove lançadores de foguetes, um esquadrão responsável por disparar armas antitanque contra alvos próximos à fronteira e casas de membros importantes do Hamas.

De acordo com os militares, nas últimas 24 horas, os ataques tiveram como alvo 12 casas pertencentes a comandantes do Hamas, incluindo a do vice-líder da Brigada do Norte de Gaza. Autoridades de saúde na Faixa disseram não haver relatos de palestinos mortos nos ataques israelenses no enclave durante a noite, a primeira redução aparente de vítimas desde o início dos combates em 10 de maio.

O chanceler grego Nikos Dendias chegou a Israel nesta terça-feira para reuniões com seu homólogo israelense Gabi Ashkenazi e o chanceler palestino Riyad al-Maliki. O objetivo informado da visita é expressar solidariedade com Israel. Dendias também deve se reunir com autoridades na Jordânia e no Egito.

Em briefing para repórteres no início desta terça-feira, o porta-voz das IDF, brigadeiro-general Hidai Zilberman, disse que 90 projéteis foram identificados como disparados de Gaza na noite de segunda-feira e início da terça-feira. Vinte deles caíram antes da fronteira e o Iron Dome interceptou dezenas de outros.

A IDF disse que os ataques da noite tinham como alvo o bairro de Rimal, na Cidade de Gaza, e aproximadamente 15 quilômetros do sistema de túneis do Hamas que passa por baixo da Faixa e é usado para transportar pessoas e armamentos. Uma casa na área de fronteira foi atingida por um foguete na manhã desta terça-feira, causando grandes danos, mas sem feridos.

As forças israelenses derrubaram um UAV (Unmanned Aerial Vehicle, veículo aéreo não tripulado) que se aproximava da fronteira de Israel com a Jordânia nesta terça-feira, disseram os militares, sem especificar qual seria a origem da aeronave. O drone estava sendo verificado em busca de explosivos.


LIVRO RECOMENDADO

Filho do Hamas

  • Mosab Hassan Yousef (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

Zilberman disse que pelo menos 160 terroristas foram mortos no conflito, 130 deles filiados ao Hamas. Mais de 3.000 foguetes foram disparados contra comunidades israelenses desde o início dos combates. Dez pessoas foram mortas por foguetes disparados contra Israel, incluindo duas crianças. Ao menos 212 palestinos foram mortos, incluindo 61 crianças, de acordo com autoridades de saúde de Gaza.

Enquanto isso, os esforços diplomáticos para encerrar os combates continuam, com o presidente dos EUA, Joe Biden, dizendo ao primeiro-ministro Benjamin Netanyahu em teleconferência na noite de segunda-feira que apoiava um cessar-fogo. “O presidente expressou seu apoio a um cessar-fogo e discutiu o envolvimento dos EUA com o Egito e outros parceiros para esse fim”, informou a Casa Branca. “O presidente reiterou seu firme apoio ao direito de Israel de se defender contra ataques indiscriminados de foguetes”, disse o documento. A Casa Branca disse que os dois líderes também “discutiram o progresso nas operações militares de Israel contra o Hamas e outros grupos terroristas em Gaza”.

A IDF disse que pelo menos cinco foguetes foram disparados contra Israel a partir do Líbano na noite de segunda-feira, mas nenhum atingiu alvos no país. Esta foi a segunda vez que foguetes foram lançados do Líbano desde o início dos combates. A IDF respondeu ao fogo e disse que o grupo terrorista Hezbollah apoiado pelo Irã não estava por trás do ataque, atribuindo-o a grupos palestinos na área.

A Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL) disse que estava reforçando o controle de segurança em coordenação com as Forças Armadas Libanesas depois que detectou o disparo de foguetes do sul do Líbano. A UNIFIL informou no Twitter que intensificou as patrulhas “para evitar quaisquer novos incidentes que ponham em risco a segurança da população local e do sul do Líbano”, enquanto o chefe da missão permanece em contato com as partes envolvidas para garantir a estabilidade na área e diminuir as tensões existentes,
acrescentando que a situação na área agora estava calma.

Na segunda-feira, fontes nos EUA disseram que o governo Biden aprovou a venda potencial de US$ 735 milhões em armas guiadas de precisão para Israel. O presidente do Comitê de Relações Exteriores da Câmara, Gregory Meeks, disse que instará o presidente a suspender a venda, de acordo com um relatório do Washington Post.

Meeks afirmou na segunda-feira que o Congresso não tinha conhecimento do negócio de armas, embora a Casa Branca tenha avisado oficialmente o Congresso sobre a venda em 5 de maio, e exigiu mais tempo para deliberações.

Fonte: Ynetnews.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

V-UnitCanal do Velho GeneralAmazonPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisPrograma Café com Defesa

Veja também