Moscou ofereceu restaurar contatos militares dentro do Conselho Rússia-OTAN

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Alexander Lavrov (Foto: Alexander Shcherbak/Tass).

Sergey Lavrov (Foto: Alexander Shcherbak/Tass).

A Rússia não se recusa a trabalhar no Conselho Rússia-OTAN e se oferece para reiniciar contatos militares, disse o ministro russo das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, em uma sessão especial da conferência do Oriente Médio no clube de discussão internacional de Valdai, na quarta-feira.

“O nosso colega, o Sr. [Secretário-Geral da OTAN Jens] Stoltenberg afirma que a Rússia se recusa a trabalhar no Conselho Rússia-OTAN. Mas não nos recusamos a trabalhar, simplesmente não queremos sentar-nos e ouvir falar da Ucrânia,” diplomata disse.

“A OTAN não tem nenhuma relação com a Ucrânia e sempre insistem quando sugerem a realização do Conselho Rússia-OTAN que a Ucrânia deve ser a primeira questão. Sentamos e ouvimos em duas ocasiões e sabemos tudo sobre isso. É por isso que sugerimos o restabelecimento dos contactos entre os militares para salvar este acordo global de segurança celebrado em Helsinque. Recusam-se a fazê-lo”, sublinhou Lavrov.

A Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) enfrenta agora problemas militares e políticos, observou o ministro das Relações Exteriores da Rússia.

“E eles [os problemas] são agora muito agudos na Europa, considerando a expansão da OTAN, considerando o deslocamento tão consistente da infraestrutura militar para as fronteiras russas, considerando o desdobramento de presença militar permanente na região do Báltico e na Noruega sob o pretexto de rotação, considerando tudo isto, a nossa proposta é que a OSCE se dê conta finalmente da sua responsabilidade pela situação militar e política na Europa para estimular acordos entre a Rússia e a OTAN”, acrescentou.

No entanto, os estados membros da OTAN “recusam-se veementemente até mesmo a discutir as medidas de confiança militar que propusemos, incluindo a proposta de concordar com a retirada de exercícios da linha de contato para uma distância acordada, para concordar com a distância máxima de aproximação para aeronaves e navios, eles simplesmente se recusam a discutir isso”, disse o principal diplomata da Rússia.

Como afirmou o secretário-geral da OTAN em uma conferência de imprensa anterior, a aliança do Atlântico Norte lamenta que nenhuma reunião do Conselho Rússia-OTAN tenha sido realizada desde o verão de 2019 porque Moscou supostamente não respondeu com seu consentimento ao convite para convocação Conselho Rússia-OTAN.

Fonte: Agência Tass.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também