Diagnóstico da (in)segurança

A população não se atém às estatísticas do crime e sim aos fatos que geram a sensação de insegurança e reforçam o medo concreto. É imperativo que a lei penal brasileira seja menos benevolente com criminosos, deixando de conceder benefícios e regimes carcerários alternativos. Diante do clima de insegurança, medo e descrédito nas instituições responsáveis pela segurança da população, tem surgido soluções imediatistas que não resolvem os problemas.

Insegurança à Espreita (Inteligência de Segurança X Intervenção em Ambiente Hostil)

Eficiência e rapidez nos sistemas de comunicação, transportes e informação eliminaram tradicionais barreiras para o crime, globalizando atividades ilícitas. No contraponto, a contra-inteligência e o desenvolvimento de sistemas de informação auxiliam na tomada de decisões e intervenção nos acontecimentos. Ainda assim é relevante ressaltar que a gestão, integração e difusão de informações são aspectos de fundamental importância.

A dinâmica do crime organizado e os negócios das facções criminosas

O crime organizado caracteriza-se pela profissionalização das atividades delituosas por elementos ou facções criminosas visando lucro. Portanto, é de fundamental importância que seja combatido e punido com todo o rigor, fazendo com que a atividade criminosa não seja compensadora.