Infográfico: Preparativos militares da Rússia e da Ucrânia

Tropas russas participam de exercícios no campo de tiro Kadamovskiy na região de Rostov, no sul da Rússia, terça-feira, 14 de dezembro (CNN).

A ameaça de conflito armado paira na Europa Oriental com mais de 100.000 soldados russos reunidos ao longo da fronteira com a Ucrânia.

Radar Semanal 28/01/2022

Militar ucraniano (Wolfgang Schwan/Anadolu/Getty).

**Exclusivo Assinantes** Se Moscou quis chamar a atenção do Ocidente, foi ouvida em alto e bom som; Topas russas na Bielorrússia assumiram posições perto da fronteira com a Ucrânia; Verdadeiro prêmio na Ucrânia é o fim da influência americana na Europa; Biden pressiona por linha dura contra a Rússia, mas Putin não está tremendo.

Radar Semanal 21/01/22

USS Carl Vinson operando no Mar da China Meridional, abril de 2017 (Matt Brown/Reuters).

**Exclusivo Assinantes** A OTAN é grande e provocativa demais; Os EUA tem mais rivais do que conseguem lidar; A política externa americana joga seus adversários nas mãos uns dos outros; As ambições superdimensionadas das Big Techs.

Radar Semanal 14/01/22

Soldado ucraniano caminha sob rede de camuflagem em uma trincheira na linha de separação de rebeldes pró-Rússia na região de Donetsk, na Ucrânia, em 3 de dezembro (Andriy Dubchak/AP).

*Exclusivo Assinantes* O radar desta semana traz análises sobre a situação da Ucrânia, além de uma avaliação dos britânicos sobre seus métodos de análise de cenários políticos.

Russos, norte-americanos e europeus debatem o futuro da Ucrânia

Os presidentes Vladimir Putin, da Rússia (esq.), e Joe Biden, dos EUA (dir.).

Negociações que se iniciam hoje em Genebra, na Suíça, poderão ser decisivas não apenas na questão da central da Ucrânia, mas para o futuro das relações entre as duas maiores potências militares do planeta.

Radar Semanal 07/01/22

Policiais se reúnem em uma praça durante um protesto (Pavel Mikheyev/Reuters).

**Exclusivo Assinantes** Hoje o Radar se concentra no Cazaquistão. Moscou mantém o foco na Ucrânia e na OTAN, mas distúrbios no outro vizinho exigem ao menos alguma atenção; Se Putin puder tornar o regime cazaque mais pró-russo, Almaty poderá ser um aliado mais confiável para Moscou.

Radar Semanal 23/12/21

Comboio de tropas russas em deslocamento na direção de Tskhinvali, na Geórgia, em 16 de agosto de 2008 (AFP).

**Exclusivo Assinantes** Um perfil do chanceler alemão Olaf Scholz, bem conhecido do público alemão; Os objetivos franceses no Indo-Pacífico; O pragmatismo das negociações da Índia com a Rússia; Análise: Um compromisso de não expandir a OTAN até as fronteiras da Rússia seria realisticamente possível?

Radar Semanal 17/12/21

O secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin (dir.), recebe o ministro da Defesa da Lituânia, Arvydas Anusauskas (esq.), no Pentágono, em 13 de dezembro de 2021 em Arlington, Virgínia (Alex Wong/Getty Images).

**Exclusivo Assinantes** Evitar a devastação da Ucrânia e o risco de guerra com a Rússia requer abordar a expansão da OTAN; Militarização deixou de mobilizar os russos; Chefe da Defesa lituano diz que EUA devem agir para punir a Rússia, sem esperar uma invasão à Ucrânia; Evitar PsyOps começa entendendo táticas comuns: distorcer, distrair, rejeitar, negar e desanimar.

Radar Semanal 10/12/21

Militares das Forças Armadas da Índia desfilam na parada do Dia da Vitória na Praça Vermelha, em Moscou, marcando o 75º aniversário da vitória na Segunda Guerra Mundial (Ramil Sitdikov/Host Photo Agency/Getty Images).

**Exclusivo Assinantes** Preparativos da Rússia sinalizam que Moscou reconhece o perigo de uma área fortificada em sua fronteira; Relações russo-indianas são tradicionalmente boas, mas os laços econômicos estão estagnados e suspeitas mútuas vêm se insinuando; A visão da ministra das Forças Armadas da França sobre os desafios tecnológicos que seu país vem superando; Interesses conflitantes dificultam que Israel e Irã encontrem uma solução diplomática para seu impasse.

Ocidente e Rússia se chocam na Ucrânia

Outside the Beltway.

A Ucrânia está no centro de uma crise que ameaça escalar para um confronto militar entre ucranianos e russos, com risco de transbordamento para outros países, o que seria gravíssimo para a estabilidade da Europa e do mundo.