O Leviatã, submarino de ataque israelense

O Leviatã e um segundo submarino da marinha israelense são vistos durante manobra naval no Mediterrâneo, na costa de Haifa, em 9 de junho de 2021 (Foto: Amir Cohen/Reuters).

A frota de cinco submarinos israelenses classe Dolphin, com um sexto em construção, é envolta em sigilo e especulações. Movidas a motores diesel-elétricos e com tripulação básica de 30 militares, alguns analistas sugerem que essas embarcações são capazes de lançar mísseis nucleares – que Israel não nega e nem confirma possuir.

Marinha da Rússia inicia exercícios de larga escala no Pacífico

O Varyag, cruzador de mísseis da Marinha da Rússia (Foto: Vadim Savitsky/Gabinete de Imprensa do Ministério da Defesa Russo/Tass).

De acordo com o plano, um exercício operacional das forças combinadas da Frota será executado em zonas marítimas distantes; manobra envolve até 20 combatentes de superfície, submarinos e navios de apoio, além de cerca de 20 aeronaves.

Memorando revela que a US Navy deve escolher entre futuro destroier, caça ou submarino para o plano do Ano Fiscal 2023

A US Navy prevê uma ala aérea mista de aeronaves Super Hornet de quarta geração e F-35 de quinta geração em 2030 (Foto: US Navy).

Memorando diz que a US Navy não pode se dar ao luxo de desenvolver simultaneamente a próxima geração de plataformas aéreas, de superfície e submarinas, e deve priorizar os programas de forma a equilibrar os custos de desenvolvimento de novas capacidades com a manutenção das atuais.

Mais recente submarino nuclear da Marinha da Rússia fará primeiro teste de mar

K-549 Knyaz Vladimir, o primeiro submarino de mísseis balísticos (SSBN) classe Borei-A (Projeto 955A) da Marinha da Rússia (Foto: Ministério da Defesa russo).

Em junho, o submarino de propulsão nuclear Knyaz Oleg será testado em junho.

Chefe da US Navy diz que três SSN classe Virgínia por ano são um “desafio”

O USS New Hampshire, submarino de ataque classe Virginia, entrando na Estação Naval de Norfolk em 7 de maio de 2021 (Foto: Alfred A. Coffield/US Navy).

A US Navy enfrenta uma escassez de submarinos de ataque que será mais severa em meados desta década devido à baixa produção de novos classe Virginia, e planeja estender a vida útil dos classe Los Angeles para mitigar o déficit.

China e Indonésia realizam exercícios navais conjuntos perto de Jacarta

Os exercícios navais conjuntos ocorreram em águas ao largo de Jacarta (Foto: SCMP).

Exercícios ocorrem depois que a China enviou navios para ajudar no resgate do submarino indonésio naufragado e ajudarão a melhorar a coordenação, a comunicação e aumentar a confiança mútua e a cooperação, de acordo com comandante do PLA.

Radar Semanal 07/05/2021

O submarino JS Soryu (SS-501) da Força de Autodefesa Marítima do Japão chega a Guam para uma visita ao porto (Foto: Lauren Spaziano/US Navy).

Nesta edição do Radar, a China está em foco: uma avaliação sobre as possibilidades de defesa de Taiwan; uma análise sobre a aproximação, preocupante para os EUA, entre a China e a Rússia; e as possíveis atividades dos submarinos japoneses num eventual conflito com a China. E, para quebrar um pouco o assunto China, um artigo especula sobre a retirada dos EUA no Afeganistão e possíveis implicações para o Reino Unido e a OTAN.

Submarino Kazan, da classe Yasen, pode ser entregue à Marinha da Rússia em 7 de maio

O K-560 Severodvinsk, submarino de mísseis de cruzeiro movidos a energia nuclear da classe Yasen (Foto: Ministério da Defesa da Federação Russa).

A embarcação completou uma surtida de verificação no final de abril. Foi planejado para entrar em serviço até o final de 2020, mas o programa de testes não foi cumprido no prazo.

Rússia lançará seis submarinos e navios de guerra no Dia da Vitória na Segunda Guerra Mundial

K-549 Knyaz Vladimir, o primeiro submarino de mísseis balísticos (SSBN) classe Borei-A (Projeto 955A) da Marinha da Rússia (Foto: Ministério da Defesa russo).

Serão lançados dois cruzadores subaquáticos com mísseis nucleares estratégicos da classe Borei-A, duas corvetas do Projeto 20380 e dois submarinos do Projeto 636.3.

Com o Nanggala oficialmente perdido, quais são os próximos passos?

Militar indonésio examina mapa da área onde está o KRI Nanggala (Foto: EPA).

A Indonésia e a comunidade submarinista internacional estão em luto pela perda dos 53 tripulantes a bordo. Independentemente de possíveis tentativas de recuperação dos destroços para um exame mais detalhado das causas do acidente, é possível que a Marinha da Indonésia realize também uma revisão de treinamento e procedimentos.