Saab junta-se à Race to Zero para reduzir as emissões de gases de efeito estufa

Fonte: Saab.

A Saab junta-se à campanha Race to Zero, da Convenção-Quadro das Nações Unidas para as Mudanças Climáticas (UNFCCC, pelas siglas em inglês) e compromete-se a reduzir as emissões de gases de efeito de estufa em 50% até 2030 e a zero líquido até 2050.

As alternâncias do poder mundial do final do Século XIX aos dias atuais

Sala de reuniões do Conselho de Segurança da ONU na sede das Nações Unidas em Nova York, EUA, em fotografia de 2014 (Foto: Neptuul/Wikimedia Commons/CC BY-SA 3.0).

Analisar a história nos mostra que, independentemente do direito internacional, o poder econômico e a força militar são fatores determinantes no relacionamento entre as nações.

Radar Semanal 17/09/21

Livro de Bob Woodward e Robert Costa diz que o general Mark Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, disse ao general chinês Li Zuocheng que o alertaria em caso de ataque dos EUA (Foto: AP).

Hoje no Radar: Perda de influência global dos EUA leva aliados a buscar outros apoios; Sem ONU e OTAN, europeus e asiáticos podem criar solução que Afeganistão não exporte terror; Nova aliança militar entre EUA, Reino Unido e Austrália deve aumentar tensões com Pequim; Biden defende Milley e Trump diz que nunca soube de ligações para a China.

Incidente no Mar Negro: As reações na Rússia

Destroier britânico HMS Defender (Foto: BatManS/Shutterstock).

Londres afirmou que a embarcação estava em águas ucranianas, mas optou por evitar a escalada, dizendo que nenhum tiro de alerta foi disparado contra seu navio.

Houthis e coalizão liderada pelos sauditas parecem próximos de acordo de paz

Mohamed Abdulsalam, porta-voz do movimento Houthi, em Sanaa, Iêmen, em imagem de 2016 (Foto: Khaled Abdullah/Reuters).

Um acordo seria um avanço nos esforços liderados pela ONU para acabar com a guerra, daria ao governo Biden uma vitória na política externa e aliviaria as tensões entre os sauditas e o Irã.

Representante russo na ONU diz que UE escolhe abordagens destrutivas ao lidar com Moscou

O diplomata russo Dmitry Polyanskiy, Primeiro Representante Permanente Adjunto da Rússia na ONU (Foto: UNIFEED/ONU).

Para citar o exemplo de tais abordagens, Dmitry Polyanskiy mencionou sanções unilaterais que contradizem o direito internacional.

Vigilância nuclear da ONU alerta sobre Coréia do Norte e Irã

Foto: Alex Halada/AFP/Getty Images.

O diretor da AIEA, Rafael Grossi, disse que Pyongyang pode estar reprocessando plutônio e avisa que a falta de conformidade do Irã está prejudicando as perspectivas de resgate do JCPOA.

A participação da China em Missões de Paz

Militares chineses em formatura pouco antes de sua implantação na missão da ONU em Juba, capital do Sudão do Sul. (Foto: PLA Daily/Weibo).

A participação da China nas missões de paz da ONU saiu de praticamente zero até uma posição de indiscutível liderança, em apenas três décadas. Isso ocorre por diversas razões, desde econômicas até políticas, geopolíticas e militares. Todas apontam para um maior protagonismo do gigante asiático no sistema internacional.

A violência social e o Direito contemporâneo

Imagem: Montagem com imagens Pixabay/Radware.

A violência como instrumento de poder é uma linguagem destrutiva na ordem social do Estado Democrático de Direito e se manifesta frequentemente através do terrorismo em suas diversas modalidades, desde bélicas até as mais sofisticadas no campo da cultura.

Ocidente pede investigação do desvio de voo pela Bielorrússia para prender dissidente

O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko (Foto: Sergei Shelega/BelTA).

Os EUA e membros da Europa Ocidental do Conselho de Segurança da ONU convocaram a ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional) para investigar o desvio do voo da Ryanair pela Bielorrússia e a prisão de um dissidente a bordo.