Após exercícios maciços, China diz que futuro de Taiwan está na reunificação

Porto Kaohsiung em Taiwan, de frente para o Estreito de Taiwan (Foto: Formosa Wandering/Flickr/CC BY-NC 2.0)

Porta-voz do Ministério da Defesa chinês disse que a independência de Taiwan significa guerra, e que os EUA devem entender que o desenvolvimento e o crescimento da China “não podem ser interrompidos por nenhuma força”.

Taiwan relata a maior incursão da Força Aérea chinesa

Caças Shenyang J-16 (Foto: PLAAF).

Foi a maior incursão chinesa na ADIZ de Taiwan desde o recorde anterior de 25 aeronaves relatado em 12 de abril passado.

Comunicado do G7 reflete a importância estratégica de Taiwan, diz acadêmico

Líderes do G7 e União Europeia fazem foto oficial antes da cúpula na Cornualha (Foto: Leon Neal/AFP).

Foi a primeira vez que a reunião de líderes incluiu questões sobre o Estreito de Taiwan em seu comunicado desde 1975, quando o predecessor do G7, o G6, foi formado.

Marinha da China realiza exercícios com fogo real em três Comandos de Teatro

A CCTV informou sobre exercícios militares dos Comandos de Teatro Leste, Norte e Sul do PLA em 17 de maio de 2021 (Foto: CCTV).

Destroieres e corvetas estão entre os navios participantes de treinamento com fogo real e defesa antimísseis envolvendo os Comandos de Teatro Leste, Norte e Sul.

Radar Semanal 14/05/2021

Photo: Pedro Ugarte/AFP/Getty Images.

Hoje no Radar: uma avaliação da (equivocada) política para transgêneros do Pentágono; o almirante Stavridis analisa os principais “pontos de ignição” com a China; o fiasco dos militares venezuelanos em enfrentamentos com as FARC e a ELP; e um complemento (ou mesmo contraponto) à matéria da revista The Economist sobre Taiwan.

Japão, EUA e França realizam exercícios conjuntos

A fragata francesa Surcouf ficará estacionada no Mar do Leste da China (Foto: SCMP).

Exercícios ocorrem poucos meses depois que a França reafirmou compromisso com o Indo-Pacífico; frota francesa é parte de uma maior presença de forças europeias na região.

Radar Semanal 07/05/2021

O submarino JS Soryu (SS-501) da Força de Autodefesa Marítima do Japão chega a Guam para uma visita ao porto (Foto: Lauren Spaziano/US Navy).

Nesta edição do Radar, a China está em foco: uma avaliação sobre as possibilidades de defesa de Taiwan; uma análise sobre a aproximação, preocupante para os EUA, entre a China e a Rússia; e as possíveis atividades dos submarinos japoneses num eventual conflito com a China. E, para quebrar um pouco o assunto China, um artigo especula sobre a retirada dos EUA no Afeganistão e possíveis implicações para o Reino Unido e a OTAN.

Especulando sobre a China e Cuba

Num exercício de imaginação, o autor procura traçar um paralelo entre a situação geopolítica da Guerra Fria, envolvendo os EUA e a URSS durante a crise dos mísseis em Cuba, e a atual disputa entre os Estados Unidos e a China, criando um cenário hipotético, mas, nas suas próprias palavras, intrigante. Dado o cenário especulado, cabe a pergunta: Poderia Cuba ser tão importante para a China quanto foi para a União Soviética?