Radar Semanal 03/09/21

Foto: Phooey1990/Flickr.

A estratégia chinesa para o Oceano Índico; Rússia, China, Irã e Turquia avaliam como lidar com o Talibã no Afeganistão; e uma visão geral dos programas de mísseis balísticos de Israel e da Arábia Saudita.

Talibã adverte EUA contra extensão de presença militar

Militantes do Talibã (Foto: Ishtiaq Mahsud/AP).

O alerta chega no momento em que a Alemanha estende sua presença militar até 2022.

As reversões de Joe Biden

Passado o período de promessas eleitorais, Joe Biden, agora empossado como o 46º presidente dos Estados Unidos, deverá lidar com a realidade das pressões sofridas pelos ocupantes da Casa Branca. Em relação à política externa, não será fácil cumprir todas as suas promessas de campanha frente às realidades que terá que enfrentar. Biden agora corre o risco de ser condenado pelo que fizer e pelo que não fizer.

Táticas suicidas terroristas: Suicidas-Bomba

Ataques terroristas suicidas com uso de IED têm se tornado uma tática frequente. A atomização e fragmentação do terrorismo, seja devido à autorradicalização ou pelo retorno de combatentes estrangeiros aos países de origem, fomentam a atual onda de terrorismo jihadista doméstico. Nesse cenário, o presente artigo traz um breve histórico do conceito e modus operandi das táticas suicidas terroristas, a fim de possibilitar ao Estado preparar-se com novos desenhos de força de planejamento, respostas e recuperação em segurança pública mais eficientes e resilientes.

A França em luto

O laicismo do estado francês vem entrando em choque com a comunidade islâmica do país que, com seis milhões de pessoas, já é a maior da Europa. O assassinato do professor Samuel Paty, na última semana, é o mais recente de uma série de atentados terroristas que vem se intensificando desde 2012 e que já vitimaram cerca de 260 pessoas.

Ecos do terrorismo jihadista no Brasil

Fatos ocorridos nos últimos conectam o Brasil a segmentos jihadistas chamam a atenção das agências de Inteligência e Forças de Segurança no Brasil. A primeira linha de defesa da sociedade brasileira continua sendo a Inteligência, orientando as operações de combate ao terrorismo.

Comunicação jihadista estratégica online

Os serviços de inteligência são a primeira linha de defesa contra a ciberjihad, fenômeno complexo e de mutação acelerada. Sem inteligência, é impossível antecipar e prevenir o terrorismo.