Radar Semanal 15/10/21

O porta-aviões americano USS Midway navega em águas agitadas no Mar das Filipinas, em 1º de junho de 1987 (US Navy).

**Exclusivo Assinantes** Apesar de avanços nos anos 1990, a capacidade aeronaval da Índia foi superada pela China; História mostra que ascensão e o declínio de um país estão diretamente relacionados ao seu poder naval; Ascensão de Atores Não-Estatais sugere que modelo de Estado Vestfaliano pode estar ameaçado; OTAN tem problemas e uma identidade de defesa europeia é imperativa, mas o elo transatlântico é fundamental.

Infográfico: panorama do Gás Natural na Europa

Unidade de Tratamento de Gás nº 3 no campo Chayandinskoye da Gazprom (Foto: Gazprom).

**Exclusivo Assinantes** Infográfico: a dependência de importação de energia na Europa nunca foi tão alta.

Radar Semanal 08/10/21

Soldados da China e da Índia participam do exercício conjunto Hand-in-Hand 2018 realizado em Chengdu, na província de Sichuan, China (Reuters).

**Exclusivo Assinantes** Valor econômico do Ártico aumenta com derretimento do gelo; PLA vê cooperação militar Índia-EUA com preocupação, mas não considera a Índia grande ameaça; Signatários do JCPOA devem desenvolver plano B em relação ao Irã; China intensifica influência nos Bálcãs com a Iniciativa Belt and Road e levanta preocupações na Europa.

O acordo Estados Unidos–Austrália e os limites da estratégia anti-China dos EUA

O presidente francês, Emmanuel Macron, e o então primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, no convés do HMAS Waller, um submarino classe Collins da Marinha Real da Austrália, em Sydney, maio de 2018 (Foto: Brendan Esposito/AFP).

A União Europeia quer um caminho intermediário entre China e EUA, e o anúncio AUKUS, com o cancelamento do acordo australiano com a França, mostra que isso será difícil. A UE geralmente considera os EUA seu aliado mais próximo, mas o bloco tem laços econômicos profundos com a China, tanto como mercado de exportação quanto como fornecedor.

As alternâncias do poder mundial do final do Século XIX aos dias atuais

Sala de reuniões do Conselho de Segurança da ONU na sede das Nações Unidas em Nova York, EUA, em fotografia de 2014 (Foto: Neptuul/Wikimedia Commons/CC BY-SA 3.0).

Analisar a história nos mostra que, independentemente do direito internacional, o poder econômico e a força militar são fatores determinantes no relacionamento entre as nações.

Saab comanda uma demonstração ao vivo do OCEAN2020 no Mar Báltico

Imagem: Saab.

Saab comanda demonstração parte do projeto de pesquisa de defesa europeu OCEAN2020 no Mar Báltico, com participação de 17 empresas, institutos de pesquisa e ministérios da defesa europeus.

Reflexões sobre Poder: A China, o Ocidente e o Brasil

Imagem: VG.

Com a queda da URSS e o fim da bipolaridade da Guerra Fria, os Estados Unidos se consolidaram como potência hegemônica, impondo sua visão e valores durante as décadas seguintes. No Século XXI, o crescimento da China e consequente embate com os EUA requer uma análise cuidadosa. O fato é que avaliar a ascensão da China por uma ótica puramente ocidental levará inevitavelmente a erros de avaliação.

O retorno do Império Otomano é possível?

Tropas turcas e azeris em exercícios militares conjuntos na província de Kars, leste da Turquia (Foto: Reuters).

A Turquia governada por Recep Tayyp Erdogan, um admirador do Império Otomano, vem ganhando destaque internacional nos últimos tempos, com ações na Síria, em apoio ao Azerbaijão, e obtendo proeminência inclusive em tecnologias militares. Mas até que ponto isso pode significar o renascimento de um “novo” Império Otomano?

A Peste Negra e o surgimento da Guerra Biológica

Jani Beg e o cerco a Caffa em 1345 (Ilustração produzida pelo autor).

Além de causar doenças e morte, armas biológicas são também uma forma de guerra psicológica, causando pânico em uma população e gerando grandes prejuízos econômicos. A primeira Guerra Biológica data de 1345, em uma ação que desencadeou a maior e mais mortal pandemia da história da humanidade.

Radar Semanal 16/07/21

O ex-vice presidente dos EUA, Mike Pence (Foto: Erin Granzow).

Hoje no Radar, um artigo aborda os desafios da modernização da tríade nuclear dos EUA; a recente implantação de 16 aeronaves da força aérea chinesa próximo ao espaço aéreo da Malásia pode sugerir uma nova tática para a China afirmar suas reivindicações sobre o Mar do Sul da China; O ex-vice-presidente americano Mike Pence ingressou na The Heritage Foundation fazendo um forte discurso anti-China, que traduzimos nesta edição; O compromisso da Turquia de proteger o aeroporto de Cabul é arriscado, mas pode trazer recompensas estratégicas significativas.