Radar Semanal 17/09/21

Livro de Bob Woodward e Robert Costa diz que o general Mark Milley, chefe do Estado-Maior Conjunto dos EUA, disse ao general chinês Li Zuocheng que o alertaria em caso de ataque dos EUA (Foto: AP).

Hoje no Radar: Perda de influência global dos EUA leva aliados a buscar outros apoios; Sem ONU e OTAN, europeus e asiáticos podem criar solução que Afeganistão não exporte terror; Nova aliança militar entre EUA, Reino Unido e Austrália deve aumentar tensões com Pequim; Biden defende Milley e Trump diz que nunca soube de ligações para a China.

Com 10.000 tropas da OTAN na fronteira, Putin diz esperar que a Aliança considere propostas para reduzir tensões

O presidente da Rússia, Vladimir Putin (Foto: Alexei Nikolsky/Escritório de Imprensa Presidencial da Rússia).

Em meio a advertências do chefe de Estado-maior da Rússia de que forças avançadas da OTAN continuariam crescendo, Putin diz que “vontade política e prontidão para compromissos podem produzir um resultado positivo”.

Ministro da Defesa de Israel ordena prontidão para operações do Irã

O general Mark Milley e o tenente-general Aviv Kochavi no Pentágono (Foto: Breaking Defense).

Um dos fatores por trás da medida é que depois que o presidente Ebrahim Raisi assumir em agosto, formará um novo conselho de segurança que deverá obedecer totalmente às suas ordens.

Chefe do Estado-Maior da Rússia espera laços mais construtivos com os EUA após cúpula de Genebra

General Valery Gerasimov, chefe de Estado-Maior da Rússia (Foto: Kremlin/Moscow Times).

A cúpula Rússia-EUA, iniciada por Washington, aconteceu na cidade suíça de Genebra em 16 de junho.

Presidente da ABIMDE irá palestrar em curso sobre economia e planejamento de Defesa

Foto: ABIMDE.

O curso tem como objetivo promover a compreensão das relações entre Economia e Planejamento de Defesa, bem como a importância da Base Industrial de Defesa e Segurança.

Novo centro de comunicação de defesa é comissionado na Região Militar Central da Rússia

Militar russo estabelecendo comunicação durante os exercícios estratégicos na cordilheira Oimasha, Cazaquistão (Foto: Sputnik/Alexey Kudenko).

O major-general Gennady Tuchin, vice-chefe do Estado-Maior e chefe de comunicações do Distrito Militar Central, disse que o novo centro é capaz de fornecer todos os tipos de links de comunicação entre unidades militares em serviço de combate.

Quem comandará o exército líbio após o acordo politico?

A incerteza paira sobre as posições da defesa do país, apesar dos recentes desenvolvimentos positivos na Líbia.

Circular reservada do Chefe de Estado-Maior do Exército (1964)

“… Estar prontos para a defesa da legalidade, a saber, pelo funcionamento integral dos três Poderes constitucionais e pela aplicação das leis, inclusive as que asseguram o processo eleitoral, e contra a revolução para a ditadura e a constituinte, contra a calamidade pública, a ser promovida pelo CGT, e contra o desvirtuamento do papel histórico das Forças Armadas.”