O afundamento do Bismarck

Representação artística do encouraçado alemão Bismarck (Imagem: Trumpeter).

Provavelmente o encouraçado alemão mais famoso da Guerra, o Bismarck afundou em 27 de maio de 1941, depois de, por sua vez, afundar o orgulho da Marinha Real, o HMS Hood. Para muitos, o fim do Hood e do Bismarck simbolizou o fim da era dos poderosos encouraçados, substituídos pelos submarinos e porta-aviões.

Expansão da China na África ameaça os EUA a partir do Atlântico, diz general americano

General. Stephen Townsend, comandante do Comando da África dos EUA (Foto: Sgt. John Yountz/US Army).

Chefe do Comando da África dos EUA alerta que a ameaça crescente da China pode vir não apenas do Pacífico, mas também do Atlântico; uma base chinesa na costa oeste africana estaria muito próxima do território dos EUA.

EUA saúdam forças de paz da China na África, mas desconfiam das incursões de Pequim

Militares chineses participam da cerimônia de abertura da base militar da China no Djibuti (Foto: AFP).

O Comitê de Serviços Armados do Senado dos EUA foi informado que o recém-concluído cais da China no Djibuti acomodaria um porta-aviões; analistas alertam que as operações de manutenção da paz da China na África são percebidas como possível desculpa para construção de bases militares no continente.

Marinha dá início à Operação “ADEREX-Aeronaval I/2021”

Serão realizadas operações de esclarecimento e ataque, de superfície, aeronavais e de defesa aeroespacial, a fim de elevar o grau de adestramento dos meios da Esquadra.

ADEREX-URANO/2021 proporcionará adestramento à Força Aeronaval e contribuirá para o incremento de ações conjuntas entre as Forças Armadas

Exercício contará com a presença de aeronaves de asa rotativa da Força Aeronaval, da Força Aérea Brasileira e do Exército Brasileiro. Será mais uma oportunidade para incrementar a interoperabilidade entre as Forças Armadas.

Internacionalização da Amazônia

O discurso internacional sobre a Amazônia vem ganhando corpo nos últimos anos. Cabe ao Brasil estar atento e tomar medidas, de um lado para rebater as narrativas falaciosas e de outro para estar pronto a preservar nossa soberania sobre a região, sem deixar de lado as necessárias medidas de efetivo combate aos incêndios e aos crimes ambientais.

O que aconteceu com a liderança americana?

A mudança do foco estratégico de Washington para a Ásia e o Pacífico em detrimento da Europa, como vinha ocorrendo até há poucos anos, não se deve a uma suposta postura isolacionista dos Estados Unidos, como acreditam alguns analistas, mas simplesmente atende aos interesses americanos.