Radar Semanal 19/02/2021

Neste Radar, a China admite a morte de quatro militares nas escaramuças com a Índia em 2020; a radiografia de uma base de mísseis norte-coreana, pelo CSIS; uma tabela comparativa quantitativa das forças armadas dos países do Oriente Médio; artigo do War on the Rocks com reflexões sobre a Guerra do Golfo; e uma análise do Al-Monitor sobre a tríade Rússia-Irã-Turquia e a situação da Síria.

Nas monarquias árabes, o absolutismo pode estar diminuindo

As oito monarquias do mundo árabe estão entre as últimas monarquias absolutistas remanescentes na Terra. Em alguns aspectos, eles se mostraram surpreendentemente duráveis. Em comparação com as repúblicas árabes, Jordânia, Marrocos e os seis países do GCC (Gulf Cooperation Council, Conselho de Cooperação do Golfo) – Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Omã, Qatar, Bahrein e Kuwait – escaparam dos levantes da Primavera Árabe relativamente imperturbáveis. Mas alguns dos reinos árabes também estão enfrentando novos desafios que ameaçam encerrar décadas de governo monárquico.

Táticas suicidas terroristas: Suicidas-Bomba

Ataques terroristas suicidas com uso de IED têm se tornado uma tática frequente. A atomização e fragmentação do terrorismo, seja devido à autorradicalização ou pelo retorno de combatentes estrangeiros aos países de origem, fomentam a atual onda de terrorismo jihadista doméstico. Nesse cenário, o presente artigo traz um breve histórico do conceito e modus operandi das táticas suicidas terroristas, a fim de possibilitar ao Estado preparar-se com novos desenhos de força de planejamento, respostas e recuperação em segurança pública mais eficientes e resilientes.

A ameaça do Atirador Ativo

As ocorrências de “Atirador Ativo”, ataques em locais de grande concentração de pessoas, são relativamente comuns nos EUA e anteriormente eram vistas como algo distante da realidade brasileira. No entanto, infelizmente, isso tem ocorrido com certa frequência no país. É necessário que os órgãos de segurança pública estejam preparados para lidar com esses casos, ao mesmo tempo em que a população deve saber como agir nessas situações.

Comunicação jihadista estratégica online

Os serviços de inteligência são a primeira linha de defesa contra a ciberjihad, fenômeno complexo e de mutação acelerada. Sem inteligência, é impossível antecipar e prevenir o terrorismo.