O Hamas adverte Bennett que Marcha em Jerusalém na terça-feira reacenderá as tensões

Jovens em Jerusalém em maio, antes da planejada Marcha das Bandeiras de Jerusalém (Foto: Ohad Zwigenberg/Haaretz.

A Marcha da Bandeira de Jerusalém é um “estopim para uma nova explosão”, disse o porta-voz do Hamas um dia após a posse do primeiro-ministro Bennett.

Mais uma crise na Terra Santa

Imagem: Bigstock.

Após semanas de uma escalada de tensões, está em andamento a mais grave crise envolvendo israelenses e palestinos desde 2014.

O maior conflito entre Israel e Gaza desde 2014

Unidade de artilharia israelense dispara contra alvos na Faixa de Gaza (Foto: AP).

Semanas de violentos confrontos em Jerusalém Oriental iniciaram os combates mais pesados em vários anos entre Israel e militantes palestinos na Faixa de Gaza. Ambos os lados parecem estar se preparando para uma luta mais prolongada. Neste artigo, alguns dos recentes fatores que desencadearam a escalada.

Hamas e Israel trocam fogo e a agitação em Jerusalém incendeia a faixa de Gaza

Foguetes são lançados da Faixa de Gaza em direção a Israel (Foto: Khalil Hamra/AP).

O confronto mais sério entre o Hamas e Israel foi desencadeado por enfrentamentos entre palestinos e a polícia israelense na Mesquita de Al Aqsa em Jerusalém; é a primeira vez desde 2014 que o Hamas lança foguetes contra Israel.

Hamas pede a palestinos que enfrentem as forças israelenses

Emblema do Hamas.

Porta-voz do Hamas diz que os eventos ocorridos na mesquita de Al-Aqsa, na Jerusalém Oriental, são crimes de guerra e equivalem a um massacre.