Aviação

A aviação militar é empregada para fins ofensivos ou defensivos, com capacidades de bombardeio, caça, ataque, transporte, treinamento, reconhecimento, busca e salvamento. Suas atividades incluem também apoio a meios terrestres e marítimos. Envolve o emprego de aeronaves de asa fixa e rotativa, meios tripulados ou não tripulados e pode incluir meios e armas como satélites e mísseis balísticos ou intercontinentais.

O uso militar de meios aéreos remonta aos século XIX com o uso de balões de observação nas guerras napoleônicas e franco-prussiana e pelo Exército Brasileiro na Guerra do Paraguai. O primeiro emprego de um avião ocorreu na Guerra Ítalo-Turca, quando em 23 de outubro de 1911 um piloto italiano sobrevoou linhas turcas na Líbia em missão de reconhecimento. Nesse mesmo conflito uma bomba foi lançada a partir de um avião pela primeira vez, em 1º de Novembro de 1911, quando a força aérea italiana atacou tropas turcas na Líbia.


Nesta página você encontra todos os artigos relacionados à Aviação já publicados no Velho General.


O código drone

A evolução da tecnologia e o aumento das facilidades na aquisição de drones recreativos ampliam as preocupações das autoridades e consequentemente levam à criação de legislação sobre o assunto. Um grande problemas é como impedir que um drone recreativo seja usado como um VANT para fins escusos por organizações criminosas ou terroristas. Continuar lendo O código drone

A missão aérea da operação que matou Osama Bin Laden

Douglas Englen, aviador do 160º SOAR, foi um dos planejadores, piloto e líder da parte aérea da Operação Lança de Netuno, que eliminou Osama Bin Laden no Paquistão em 2011. Recém-aposentado, Englen contou esta história em entrevista à jornalista e documentarista Alex Quade publicada no The Military Times. Neste artigo, apresentamos o relato da missão aérea da operação que matou o líder da Al-Qaeda. Continuar lendo A missão aérea da operação que matou Osama Bin Laden

Vulcan: uma história diferente

A história do Vulcan da RAF que aterrissou no Galeão em 1982, durante a Guerra das Falklands/Malvinas, foi contada recentemente aqui no Velho General. No entanto, a véspera da partida do bombardeiro, quando a tripulação conheceu a noite carioca, é uma passagem bem menos conhecida. Esse relato é feito hoje em primeira pessoa pelo coronel-aviador Carlos Aureliano Motta de Souza, o oficial da FAB que ciceroneou a tripulação britânica naquela noite. Agradecemos ao coronel Motta pela gentileza e disponibilidade de nos relatar essa história! Continuar lendo Vulcan: uma história diferente

Os três problemas do Vulcan XM597

Em junho de 1982, em plena Guerra das Falklands/Malvinas, um bombardeiro britânico Avro Vulcan, retornando de uma missão Black Buck, teve problemas com a sonda de reabastecimento e rumou para o Rio de Janeiro. Solicitou emergência de combustível, foi rastreado pelo CINDACTA, interceptado por caças Northrop F-5 Tiger da FAB e aterrissou com os tanques já quase “secos”. Continuar lendo Os três problemas do Vulcan XM597

Veneno & Antídoto: o míssil Avangard e o programa Glide Breaker

EUA, China e Rússia vem trabalhando em sistemas de mísseis hipersônicos, tidos por muitos como praticamente invencíveis. Recentemente, a Rússia anunciou a entrada em operação de seu planador hipersônico Avangard; quase ao mesmo tempo, os EUA anunciaram um contrato com a Northrop Grumman para o desenvolvimento de tecnologia para o programa Glide Breaker, que visa contrapor mísseis hipersônicos. Será uma nova corrida armamentista? Continuar lendo Veneno & Antídoto: o míssil Avangard e o programa Glide Breaker

Superioridade Aérea na Guerra das Falklands/Malvinas

A Guerra das Falklands/Malvinas foi travada entre a Argentina e o Reino Unido entre abril e junho de 1982 em disputa pela posse das ilhas. Os combates incluíram ataques aéreos de parte a parte, e o resultado final da guerra é bem conhecido. Sem pretender esgotar o assunto, e longe de ser definitivo, este artigo procura analisar a questão da superioridade aérea no conflito do Atlântico Sul. Continuar lendo Superioridade Aérea na Guerra das Falklands/Malvinas

Ações Aéreas Argentinas na Guerra das Malvinas

Os argentinos mantiveram seus principais meios aéreos nas bases do continente, e de lá, apesar da distância considerável do teatro de operações e com restrições em sua capacidade de reabastecimento em voo, eles operaram diversas missões contra a frota britânica. Neste artigo, o Prof. Rudnei traça um panorama geral das principais ações aéreas da FAA e da Armada durante a guerra. Continuar lendo Ações Aéreas Argentinas na Guerra das Malvinas

O Sea Harrier na Guerra das Falklands

O Harrier foi o primeiro avião de combate V/STOL (Vertical/Short Take- off and Landing) a ser produzido em série e a entrar operacionalmente em combate. De sua adaptação para uso naval pela Fleet Air Arm da Royal Navy, emergiu o Sea Harrier, cuja atuação foi essencial para a vitória britânica na Guerra das Falklands/Malvinas em 1982. Continuar lendo O Sea Harrier na Guerra das Falklands

Notas históricas sobre o uso do Poder Aéreo como Arma de Interdição – Parte III, Coréia do Norte

Esta é a terceira e última parte do Relatório de Inteligência da CIA de 1966 que subsidiava decisões de ações de interdição aérea para a Guerra do Vietnã pela avaliação das guerras aéreas contra a Alemanha e Japão da Segunda Guerra Mundial e contra a Coréia do Norte na Guerra da Coréia na década de 1950. Na primeira parte da análise, publicamos o estudo da Alemanha; na segunda parte, a análise do Japão; e nesta conclusão publicamos a avaliação da Coréia do Norte. Continuar lendo Notas históricas sobre o uso do Poder Aéreo como Arma de Interdição – Parte III, Coréia do Norte

Notas históricas sobre o uso do Poder Aéreo como Arma de Interdição (Parte II, Guerra Aérea Contra o Japão)

Esta é a segunda parte do Relatório de Inteligência da CIA que subsidiava decisões de ações de interdição aérea para a Guerra do Vietnã pela análise dos resultados da guerra aérea contra a Alemanha e o Japão na Segunda Guerra Mundial e contra a Coréia do Norte na Guerra da Coréia, na década de 1950. Neste artigo, publicamos a porção referente à Guerra Aérea contra o Japão. Continuar lendo Notas históricas sobre o uso do Poder Aéreo como Arma de Interdição (Parte II, Guerra Aérea Contra o Japão)

Notas históricas sobre o uso do Poder Aéreo como Arma de Interdição (Parte I, Guerra Aérea Contra a Alemanha)

Este relatório avalia ações para a Guerra do Vietnã, analisando as guerras contra a Alemanha e o Japão na 2a Guerra Mundial e contra a Coréia do Norte na Guerra da Coréia. Esta é a 1a. parte, a Guerra Aérea contra a Alemanha. Continuar lendo Notas históricas sobre o uso do Poder Aéreo como Arma de Interdição (Parte I, Guerra Aérea Contra a Alemanha)

Documentos da Guerra Fria: opções militares soviéticas para neutralizar o poder aéreo Sul-Africano em Angola

Memorando de Inteligência da CIA analisa as opções e as capacidades de Angola, com apoio soviético, de neutralizar o poderio da força aérea da África do Sul, numa das chamadas “guerras por procuração” do período da Guerra Fria.

Continuar lendo Documentos da Guerra Fria: opções militares soviéticas para neutralizar o poder aéreo Sul-Africano em Angola

Documentos da Guerra Fria: A importância dos desdobramentos do TU-95 “Bear D” na África Ocidental

Memorando de inteligência americano de 1977 analisa as operações de reconhecimento do TU-95 “Bear D” a partir de Conacri, na Guiné (África), e denota a preocupação com as capacidades da aeronave soviética. Continuar lendo Documentos da Guerra Fria: A importância dos desdobramentos do TU-95 “Bear D” na África Ocidental

Reconhecimento Fotográfico Aéreo: o exemplo britânico na Segunda Guerra Mundial

Como outros países, os britânicos descobriram o valor do reconhecimento fotográfico ainda durante a Primeira Guerra. No início da Segunda Guerra, era uma prática que precisava ser aprimorada; mesmo com alguma resistência, a atividade evoluiu, passando de importante a fundamental. Continuar lendo Reconhecimento Fotográfico Aéreo: o exemplo britânico na Segunda Guerra Mundial

A Privatização dos Top Gun

Nos últimos anos os EUA têm assistido a um vertiginoso crescimento das empresas privadas especializadas em fornecer treinamento adversário, mais conhecido como aggressor, para as forças aéreas dos EUA. Além de mais baratos, fornecem maior gama de opções de aeronaves com diferentes desempenhos ao mesmo tempo em que contam com experientes pilotos militares aposentados. Continuar lendo A Privatização dos Top Gun

Victor Belenko

Em Setembro de 1976, o 1o. tenente da força aérea soviética Victor Belenko aterrissou de surpresa em Hakodate, no Japão, com o mais avançado caça da URSS, o Mig-25 “Foxbat”, uma incógnita no ocidente. Belenko obteve asilo nos EUA, que antes de devolver o caça, o examinaram para descobrir seus segredos. Conheça essa história na estréia do jornalista Valter Andrade! Continuar lendo Victor Belenko