Diplomata russa classifica reação ocidental a incidente com voo da Ryanair como histeria

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova (Foto: Ministério das Relações Exteriores da Rússia/Tass).

Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova (Foto: Ministério das Relações Exteriores da Rússia/Tass).

A reação dos países ocidentais ao pouso de emergência de um vôo da Ryanair na capital bielorrussa de Minsk não é nada mais do que histeria, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, à estação de rádio Vesti FM nesta terça-feira.

A diplomata lembrou que vários aviões foram obrigados a pousar a pedido de nações ocidentais no passado, principalmente por motivos políticos. “A apreensão pela força foi usada para deter pessoas e prendê-las sem decisão judicial, apenas com base em material plantado por agências de inteligência e provocações encenadas, cidadãos de terceiros países foram transferidos ilegalmente de um país para outro. Mas isso não conta, é apenas algo rotineiro para eles. No entanto, com base nisso, o Ocidente está ficando irritado com a histeria por algum motivo. E nós entendemos o porquê. É porque o assunto da Bielorrússia está na ordem do dia”, explicou Zakharova.


LIVRO RECOMENDADO

Continente selvagem: O caos na Europa depois da Segunda Guerra Mundial

  • Keith Lowe (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

Um voo da Ryanair com destino a Vilnius, que decolou de Atenas, foi forçado a fazer um pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Minsk em 23 de maio após uma suposta ameaça de bomba, que se provou um alarme falso. Minsk especificou que Roman Protasevich, procurado na Bielorrússia como cofundador do canal Nexta do Telegram, que Bielorrússia reconheceu como extremista, estava entre os passageiros do voo. Ele foi detido por policiais. O vôo partiu para Vilnius mais tarde naquele mesmo dia.

Na segunda-feira, os líderes da UE proibiram as companhias aéreas bielorrussas de usar o espaço aéreo e os aeroportos da União Europeia e recomendaram que as companhias aéreas europeias se abstivessem de usar o espaço aéreo bielorrusso. Além disso, a cúpula introduziu novas sanções contra a Bielorrússia, exigindo que Protasevich fosse libertado, e apelou à Organização de Aviação Civil Internacional para investigar o incidente. A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, classificou o incidente como “um sequestro” e “um ataque à soberania europeia”.

Fonte: Tass.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também