Almirante Kuznetsov pode receber o mais recente equipamento de rádio

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin
O cruzador/porta-aviões pesado russo Almirante Kuznetsov (Foto: Andrei Luzik/Gabinete de Imprensa da Frota do Norte da Marinha Russa/Tass).

O cruzador/porta-aviões pesado russo Almirante Kuznetsov (Foto: Andrei Luzik/Gabinete de Imprensa da Frota do Norte da Marinha Russa/Tass).

O cruzador/porta-aviões pesado Almirante Kuznetsov pode obter o mais recente sistema automatizado parcialmente testado de navegação de curto alcance e controle de voo das aeronaves baseadas no convés, operações de aproximação e pouso enquanto passa por reparos, disse uma fonte da indústria de defesa doméstica à Tass.

“Durante os reparos, há planos para substituir o antigo sistema Rezistor-K42 por um novo e complexo semelhante ao Rezistor-E que provou seu valor na Marinha da Índia. O novo equipamento integra a eletrônica russa e ainda não passou por testes em grande escala em uma das duas instalações da NITKA [de treinamento de aeronaves em solo] disponíveis na Rússia”, explicou a fonte. A Tass ainda não obteve confirmação oficial desta informação.

Como as fontes abertas sugerem, algumas partes do sistema mais recente, cujo nome não é familiar à Tass, foram entregues à instalação de treinamento de pilotos da NITKA em Yeisk, no sul da Rússia. Em particular, a instalação recebeu o radar secundário do sistema. No entanto, o equipamento combinado não foi totalmente testado devido ao despreparo da instalação. Conforme relatado anteriormente, a instalação de treinamento de aeronaves em solo da NITKA em Yeisk só pode ser colocada em operação em 2023, em vez de 2016.

Os especialistas acreditam que a melhor opção é testar a tecnologia doméstica do Rezistor durante os voos de treinamento no complexo da NITKA na cidade de Saki, na Península da Criméia, que foi esquecida por algum motivo e é uma réplica terrestre em escala real em solo do Almirante Kuznetsov. A instalação de treinamento foi reintegrada à Rússia após a reunificação da Crimeia ao país em 2014.

As empresas envolvidas no trabalho de projeto experimental no desenvolvimento de equipamentos e materiais de aeronaves para as plataformas de porta-aviões existentes e futuras já se mudaram para a Crimeia, disse a fonte.


LIVRO RECOMENDADO

The world’s greatest aircraft carriers: An illustrated history

  • David Ross (Autor)
  • Em inglês
  • Capa dura

Sistema Rezistor-E

O sistema Rezistor-E foi desenvolvido e produzido pelo Research Institute of Measuring and Radio-Technical Equipment. Até agora, dois sistemas Rezistor-E foram entregues à Índia. Em particular, o navio capitânia da marinha indiana, o porta-aviões Vikramaditya (o antigo porta-aviões Almirante Gorshkov da marinha russa) atualizado no Estaleiro Sevmash no noroeste da Rússia e entregue aos indianos está equipado com este sistema.

De acordo com os dados do Research Institute of Measuring and Radio-Technical Equipment, os pilotos da marinha indiana já realizaram mais de 1.500 pousos no convés do porta-aviões e o sistema Rezistor-E “teve um desempenho esplêndido”.

O sistema Rezistor-E apresenta um canal digital de troca de dados com aviões de combate MiG-29K/MiG-29KUB baseados no convés operando nas marinhas da Índia e da Rússia. “O equipamento Rezistor-E para o porta-aviões Vikrant em construção na Índia foi entregue dentro do prazo”, disse o Research Institute of Measuring and Radio-Technical Equipment.

O porta-aviões russo, suas versões terrestres e aeronaves

A instalação de treinamento de pilotos navais em terra do NITKA em Saki retornou à Rússia com a reunificação da Crimeia. Sua montagem de estruturas metálicas foi projetada para fornecer atualizações futuras, e como dizem os especialistas, esta é sua vantagem básica em comparação com o composto semelhante em Yeisk feito de concreto.

Hoje, a instalação de treinamento de aeronaves da NITKA em Saki está programada para reparos e atualização, o que permitirá aos pilotos de aeronaves baseadas no convés praticar voos no “porta-aviões da Crimeia” já no verão de 2021, de acordo com especialistas.

Em fevereiro de 2017, um grupo de ataque de porta-aviões da Frota do Norte retornou à sua base naval de Severomorsk de uma implantação no Mediterrâneo. O grupo de porta-aviões, em particular, incluiu o Almirante Kuznetsov e o cruzador de mísseis movido a energia nuclear Pyotr Veliky. As aeronaves do Almirante Kuznetsov participou de uma operação militar na Síria pela primeira vez na história moderna da marinha russa.


LIVRO RECOMENDADO:

Todos os homens do Kremlin: Os bastidores do poder na Rússia de Vladimir Putin

  • Mikhail Zygar (Autor)
  • Em português
  • Kindle ou Capa comum

Único cruzador/porta-aviões da Rússia, o Almirante da Frota da União Soviética Kuznetsov, está atualmente em reparos na 35ª Fábrica de Reparo de Navios (uma subsidiária do Centro de Reparo de Navios Zvyozdochka dentro da United Shipbuilding Corporation da Rússia). A Frota do Norte russa opera dois regimentos de aviação de caça embarcados separados: o 279ª que voa aeronaves Su-33 e Su-25UTG e a 100ª unidade que integra caças MiG-29K / MiG-29KUB.

Em seu desdobramento de 2017, o Almirante Kuznetsov embarcou o 279º regimento e apenas algumas aeronaves da 100ª, cujos pilotos haviam sido treinados nas instalações da NITKA na Crimeia.

De acordo com as informações disponíveis, no momento da implantação do porta-aviões a maioria das aeronaves do 100º regimento de aviação de caça separado permaneceu em Yeisk, onde o novo NITKA deveria entrar em operação. Sua construção foi iniciada devido à falta de oportunidade de uso do complexo NITKA na Crimeia, que fazia parte da Ucrânia na época.

O cruzador/porta-aviões Almirante Kuznetsov

O cruzador/porta-aviões pesado do Projeto 11435 Almirante Kuznetsov foi desenhado para obter superioridade marítima e aérea nas áreas de operação da frota para garantir a sustentabilidade de combate da marinha, entregar ataques aéreos contra alvos inimigos e apoiar operações de desembarque de tropas.

O navio entrou em serviço em 1990. Desloca 58.000 toneladas e mede 304,5 metros. Tem potência total de 200.000 cavalos e desenvolve uma velocidade de até 30 nós. Além da força-tarefa aérea de 24-26 caças e 12 helicópteros, o Almirante Kuznetsov está armado com sistemas de mísseis anti-navio e de defesa aérea.

O navio de guerra está equipado com uma rampa ski-jump e dois elevadores para aeronaves. Tem uma tripulação de 1.300 homens, enquanto o pessoal do grupo aéreo conta com 660 homens.

Fonte: Tass.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

V-UnitCanal do Velho GeneralHackerSecPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisPrograma Café com Defesa

Veja também