USAF mais uma vez pede ao Congresso permissão para aposentar os RQ-4 Global Hawk mais antigos

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Membros do 7º Esquadrão de Reconhecimento preparam lançamento de um RQ-4 Global Hawk na Naval Air Station Sigonella, Itália, em outubro de 2018 (Foto: Sgt. Ramon A. Adelan/USAF).

Membros do 7º Esquadrão de Reconhecimento preparam lançamento de um RQ-4 Global Hawk na Naval Air Station Sigonella, Itália, em outubro de 2018 (Foto: Sgt. Ramon A. Adelan/USAF).

A USAF continuará pressionando pela aposentadoria de seu mais antigo Northrop Grumman RQ-4 Global Hawk, disseram seus principais oficiais na sexta-feira, potencialmente estabelecendo outro embate com o Congresso sobre o futuro do drone de vigilância.

“A USAF continuará a buscar a renúncia de investimento [Lei fiscal de Autorização de Defesa Nacional de 2021] no RQ-4 Block 30 a fim de reaproveitar os fundos para uso em uma capacidade de penetração [de inteligência, vigilância e reconhecimento]”, disseram John Roth, secretário interino da USAF, e o general C. Q. Brown, Chefe de Gabinete da força, em depoimento escrito ao Congresso.

Roth e Brown testemunharam perante o Comitê de Dotações da Câmara antes da solicitação de orçamento da USAF para 2022, que não foi divulgada.

Na solicitação de orçamento do ano passado, a Força Aérea buscou aposentar as versões Block 20 e 30 do Global Hawk – um total de 24 aeronaves – deixando o Block 40 e o avião espião U-2 para realizar as missões de vigilância de alta altitude.

No entanto, o Congresso bloqueou a aposentadoria do RQ-4, a menos que o secretário de defesa certifique que o desinvestimento nessas aeronaves não impedirá que os comandos combatentes cumpram suas missões e que as capacidades de um substituto do Global Hawk compensarão qualquer aumento nos custos de operação.


LIVRO RECOMENDADO

Drones: Guia das aeronaves não tripuladas que estão tomando conta de nossos céus

  • Martin J. Dougherty (Autor)
  • Em português
  • Capa comum

“Até que a USAF forneça um plano de modernização ISR abrangente, tratado em outra parte deste projeto de lei, [o Congresso] continuará a se preocupar com a sequência de aeronaves operacionais aposentadas sem disponibilidade de capacidades de substituição adequada”, de acordo com os membros dos Comitês de serviços armados do Senado e da Câmara.

A força tentou aposentar o RQ-4 várias vezes desde 2012 e sempre foi rebatida pelos legisladores. Mas se os membros da câmara planejam se opor a novas tentativas de aposentar os Block 30, não mostraram sinais de resistência durante a audiência, não fazendo perguntas sobre o futuro da plataforma.

A USAF mantém um estoque de 21 drones RQ-4 Global Hawk Block 30, bem como três drones Block 20 modificados para a variante EQ-4B Battlefield Airborne Communications Node.

A plataforma foi “crucial” para conduzir ISR de alta altitude ao longo de sua vida útil e é relevante para as missões atuais, mas não é capaz de sobreviver em ambientes contestados, afirmaram Roth e Brown em depoimento.

“Os conflitos de amanhã serão contestados. Ir além desta plataforma nos permite trazer a ISR para a era digital usando grades de detecção e campo de tecnologia avançada que inclui plataformas com capacidade de penetração”, disseram eles.

Até o momento, a força não divulgou como planeja substituir os RQ-4, pré-requisito exigido pelo Congresso para obter a autorização.

Em um jogo de guerra realizado no outono passado, ambientado em meados da década de 2030, a USAF colocou em campo um substituto global do Global Hawk semelhante a uma versão não tripulada da aeronave E-7A Wedgetail da Austrália e que será usada principalmente como nó de comunicação ao invés de coleta de ISR.

Fonte: Defense News.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também