Militares russos na Armênia reforçam áreas perto da fronteira com o Azerbaijão

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O primeiro-ministro interino da Armênia, Nikol Pashinyan (Foto: Alexander Astafyev/Sputnik/Reuters).

O primeiro-ministro interino da Armênia, Nikol Pashinyan (Foto: Alexander Astafyev/Sputnik/Reuters).

Os russos instalaram dois novos sites militares no sul da Armênia, perto da fronteira com o Azerbaijão, como uma “garantia adicional de segurança” após o conflito do ano passado, informaram agências de notícias russas, citando o primeiro-ministro armênio Nikol Pashinyan.

A Rússia é um aliado próximo da Armênia, uma ex-república soviética empobrecida de menos de 3 milhões de habitantes, e tem uma base militar no noroeste do país.

O Azerbaijão e as forças étnicas armênias travaram uma guerra de seis semanas sobre Nagorno-Karabakh e áreas adjacentes no ano passado, até que o conflito foi interrompido por um acordo mediado pela Rússia em novembro, garantindo ganhos territoriais para o Azerbaijão e estabelecendo a presença de forças de paz russas na zona de conflito.


LIVRO RECOMENDADO

Prisioneiros da geografia: 10 mapas que explicam tudo o que você precisa saber sobre política global

  • Tim Marshall (Autor)
  • Em Português
  • Kindle ou Capa comum

“Duas fortalezas da 102ª base militar russa foram estabelecidas na região de Syunik”, disse Pashinyan à agência de notícias Interfax, em um discurso ao parlamento armênio. A região está dividida entre o Azerbaijão, o enclave azeri de Nakhchivan e o Irã.

“Esta é uma garantia adicional de segurança não apenas para a região de Syunik, mas também para a Armênia”, disse o primeiro-ministro.

O ministro da defesa armênio disse em fevereiro que Yerevan havia buscado uma expansão da unidade militar russa, com base em Gyumri, no noroeste, e o envio de algumas tropas russas para mais perto do Azerbaijão.

Fonte: Reuters.

.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também