Chefe da defesa russa encerra exercícios no sul da Rússia após alcançar objetivos

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu (Foto: Alexei Yereshko/Gabinete de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia/Tass).

Ministro da Defesa da Rússia, Sergei Shoigu (Foto: Alexei Yereshko/Gabinete de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia/Tass).

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, tomou a decisão nesta quinta-feira de encerrar as verificações de prontidão de combate surpresa das tropas nos distritos militares do sul e do oeste depois que todas as metas foram alcançadas.

“Acredito que os objetivos da inspeção surpresa foram totalmente alcançados. As tropas demonstraram capacidade de defender o país com segurança. Portanto, tomei a decisão de concluir as medidas de inspeção nos Distritos Militares Sul e Oeste”, disse o chefe da defesa em uma reunião na Crimeia sobre os resultados das operações das tropas do Distrito Militar do Sul e da Força Aerotransportada.

O ministro da Defesa encarregou “o Estado-Maior, os comandantes das tropas dos distritos militares e as forças aerotransportadas de planejar e começar a devolver as tropas aos seus postos permanentes a partir de 23 de abril, fazer uma análise detalhada e realizar um briefing dos resultados da inspeção surpresa das tropas”.

Não houve resposta imediata dos países ocidentais, mas a retirada das tropas provavelmente será bem-vinda por países que estavam expressando preocupação com a perspectiva de uma nova intervenção russa no leste da Ucrânia.

Em um tweet, o presidente Volodymyr Zelenskiy disse que a Ucrânia “agradece qualquer medida para diminuir a presença militar e aliviar a situação em Donbass (leste da Ucrânia)”, acrescentando “Grato aos parceiros internacionais por seu apoio”.

O equipamento militar deve ser deixado em um campo de treinamento perto da cidade de Voronezh, a cerca de seis horas de carro da Ucrânia, para que pudesse ser usado novamente no final deste ano em outro grande exercício programado.

Horas antes, Shoigu participou de manobras na Crimeia, que Moscou disse envolver 10.000 soldados e mais de 40 navios de guerra. A Rússia também anunciou que prendeu um homem ucraniano na Crimeia acusado de espionagem.

Em discurso na quarta-feira, o presidente Vladimir Putin alertou os países ocidentais para não cruzar “linhas vermelhas”. Ele está participando esta semana de uma cúpula do clima organizada pelo presidente dos EUA, Joe Biden.

Em Moscou, o Kremlin disse que Putin estava ciente de um convite do presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy para se reunir para discutir a crise. “Se o presidente considerar necessário, ele mesmo responderá. Não tenho nada a dizer sobre isso agora”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

Fontes: Tass / Reuters.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também