Ex-vice-presidente dos EUA Walter Mondale morre aos 93 anos

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O ex-vice-presidente Walter Mondale no programa de TV da CBS

O ex-vice-presidente Walter Mondale no programa de TV da rede CBS “Face the Nation” em 1982 (Foto: Associated Press).

O ex-vice-presidente dos Estados Unidos Walter Mondale, um ícone liberal que disse aos eleitores para esperar um aumento de impostos caso ele ganhasse a presidência, morreu na segunda-feira, informou a mídia americana. Ele tinha 93 anos.

A causa da morte não foi informada, de acordo com reportagens que citam um depoimento de sua família. “Bem, minha hora chegou. Estou ansioso para reunir Joan e Eleanor”, disse Mondale em um comunicado à sua equipe e divulgado ao público após sua morte, referindo-se à sua falecida esposa Joan, que morreu em 2014, e à filha Eleanor, que morreu em 2011 aos 51 anos. “Antes de ir, queria que você soubesse o quanto você significa para mim.”

Mondale foi vice-presidente de Jimmy Carter de 1977 a 1981. “Hoje lamento o falecimento do meu querido amigo Walter Mondale, que considero o melhor vice-presidente da história do nosso país”, disse Carter em um comunicado, estendendo suas condolências à família de seu ex-número dois. “Ele foi um parceiro inestimável e um servo competente do povo de Minnesota, dos Estados Unidos e do mundo.”

Mondale tornou-se um vice-presidente mais engajado do que muitos que o precederam. Ele desempenhou um papel fundamental no fortalecimento da relação às vezes desgastada entre a Casa Branca de Carter e o Congresso controlado pelos democratas.

Antes de sua passagem pela Casa Branca, Mondale serviu como procurador-geral em seu estado natal, Minnesota, de 1960 a 1964, e depois como senador dos Estados Unidos por esse estado, de 1964 a 1976. Depois que Carter deixou o cargo, Mondale serviu como embaixador no Japão entre 1993 e 1996.

“Gentil e digno até o fim”

A senadora Amy Klobuchar, também de Minnesota, lamentou a morte de Mondale, chamando-o de “gentil e digno até o fim”, enquanto o ex-presidente Barack Obama disse que Mondale “defendeu causas progressistas e mudou o papel de VP”.

A atual vice-presidente Kamala Harris disse em um comunicado que seu antecessor “levou uma extraordinária de serviço” e o chamou de “tão generoso com sua inteligência e sabedoria ao longo dos anos”.

O presidente Joe Biden refletiu sobre algumas de suas melhores lembranças de Mondale, incluindo o fato de ele ter sido um dos primeiros a cumprimentar Biden quando ele chegou ao Senado dos Estados Unidos.

“É com grande tristeza que Jill e eu soubemos do falecimento do vice-presidente Walter Mondale, mas grande gratidão por termos sido capazes de chamar um dos mais dedicados patriotas e servidores públicos de nossa nação de querido amigo e mentor,” Biden e a primeira-dama Jill Biden disse em um comunicado.

Walter Frederick “Fritz” Mondale nasceu em 5 de janeiro de 1928 na pequena cidade de Ceylon, Minnesota. Filho de um pastor metodista e de uma professora de música, ele se mudou durante sua infância por várias pequenas cidades do sul do estado. Aos 20 anos, Mondale tornou-se gerente distrital do Congresso para a campanha de sucesso de Hubert Humphrey para o Senado. Humphrey mais tarde se tornaria o mentor político de Mondale.

Mondale começou sua carreira política nacional em 1964, quando foi nomeado para ocupar a cadeira de Humphrey no Senado, tendo este último renunciado para se tornar vice-presidente.

Defensor dos direitos civis

Defensor declarado dos direitos civis, Mondale defendeu ao longo de sua carreira no Senado a educação, moradia, direitos dos trabalhadores migrantes e nutrição infantil.

Ele fez sua própria candidatura à Casa Branca em 1984, enfrentando o republicano Ronald Reagan. Mondale escolheu a deputada americana Geraldine Ferraro como sua companheira de chapa, tornando-o o primeiro candidato presidencial de um partido importante a colocar uma mulher na chapa.

Durante sua campanha, ele disse aos eleitores que esperassem um aumento de impostos se ele ganhasse, o que mais tarde definiria a disputa. Na eleição, Mondale venceu apenas em Minnesota e no Distrito de Columbia. “Fiz o meu melhor”, disse ele no dia seguinte à votação.

Mondale serviu como embaixador dos EUA no Japão sob Bill Clinton e procurou aumentar o comércio entre os dois países. Ele manteve seu relacionamento com os Clinton e, em 2008, inicialmente endossou Hillary Clinton para presidente. Ele mudou seu endosso assim que Obama garantiu a indicação.

Mondale casou-se com sua esposa, Joan Adams Mondale, em 1955. O casal teve três filhos: os filhos Ted e William e a filha Eleanor. Ted e William seguiram o pai na política e no serviço público, enquanto Eleanor se tornou jornalista de radiodifusão.

Joan morreu em 2014 após uma doença prolongada, e Eleanor morreu em 2011 de câncer no cérebro. Os planos para os serviços fúnebres serão anunciados mais tarde em Minnesota e Washington, disse a família Mondale.

Fonte: Aljazeera.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também