General americano diz que o risco de invasão russa da Ucrânia nas próximas semanas é “baixo a médio”

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
General Tod Wolters (Foto: Ints Kalnins/Reuters).

General Tod Wolters (Foto: Ints Kalnins/Reuters).

Há um risco “baixo a médio” de que a Rússia invada a Ucrânia nas próximas semanas, disse general americano na Europa na quinta-feira, na primeira avaliação militar desse tipo em meio à crescente preocupação com os movimentos de tropas russas em direção às fronteiras da Ucrânia.

O general da Força Aérea Tod Wolters se recusou a explicar a inteligência que conduziu sua avaliação, o que não sugere que os militares dos EUA esperem uma invasão russa neste momento, mas ele não está descartando uma ou minimizando o risco.

Mas, em depoimento perante um comitê da Câmara dos Representantes, ele posteriormente sugeriu que sua opinião sobre os riscos nas próximas semanas e meses foi, pelo menos em parte, baseada na disposição das forças russas.

O Pentágono se recusou a detalhar sua avaliação sobre o tamanho e composição dessas tropas, referindo repórteres em Moscou. No entanto, a Casa Branca divulgou na semana passada que a Rússia tinha mais tropas na fronteira oriental da Ucrânia do que em qualquer momento desde 2014, quando anexou a Crimeia e apoiou a anexação de territórios separatistas.

Questionado por um legislador do Comitê de Serviços Armados para estimar as chances de uma invasão nas próximas semanas, Wolters disse: “Baixa a média.”

Pressionado por outro legislador a explicar se esse risco mudaria após aquele período, Wolters manteve suas cartas fechadas, dizendo: “A resposta é: depende.”

“E eu teria que aproveitar cada segundo do dia deste ponto até amanhã para dar uma resposta diferente”, disse Wolters, que é chefe do Comando Europeu das Forças Armadas dos EUA e comandante supremo aliado da OTAN na Europa.

Se a tendência atual permanecesse a mesma, entretanto, Wolters estimou que o risco de uma invasão poderia diminuir. “Minha sensação é que, com a tendência que vejo agora, que a probabilidade de uma ocorrência começará a diminuir”, disse ele aos parlamentares.

Ucrânia e Rússia trocaram culpas pelo aumento da violência no conflito no leste da Ucrânia, onde tropas ucranianas lutam contra forças separatistas apoiadas pela Rússia em um conflito que Kiev diz ter matado 14.000 pessoas desde 2014.

As tensões sobre o aumento de tropas russas na fronteira oriental da Ucrânia aumentaram o custo do aumento da dívida interna e levaram o governo a acelerar os esforços para garantir mais empréstimos do Fundo Monetário Internacional, disse um assessor do presidente ucraniano à Reuters na quinta-feira.

Os Estados Unidos tentaram impor custos à Rússia na quinta-feira, impondo uma ampla gama de sanções, incluindo restrições ao seu mercado de dívida soberana, para puni-la por interferir na eleição presidencial dos EUA no ano passado, por hackers cibernéticos, por intimidar a Ucrânia e outras supostas ações “malignas”.

Laura Cooper, vice-secretária de defesa para a Rússia, Ucrânia e Eurásia, apontou as sanções e descreveu o conflito no leste da Ucrânia como “uma guerra quente agora”. “Desde janeiro, já tivemos 30 militares ucranianos mortos no leste”, testemunhou Cooper, falando ao lado de Wolters.

Ainda assim, Cooper e Walters não solicitaram autoridades adicionais para apoiar as forças ucranianas, que começaram a receber armas antitanque e outros armamentos de Washington nos últimos anos.

“Acho que temos as autoridades certas e fomos capazes de fornecer a assistência letal certa, novamente, tanto no domínio terrestre quanto marítimo neste momento”, disse Cooper.

Fonte: Reuters.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também