Discurso de Biden tentou suavizar retórica em relação à Rússia, diz membro do comitê de relações exteriores russo

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
O presidente americano, Joe Biden (Foto: Andrew Harrer/EPA-EFE).

O presidente americano, Joe Biden (Foto: Andrew Harrer/EPA-EFE).

O presidente dos EUA, Joe Biden, tentou suavizar a retórica em relação à Rússia com seu discurso, mas Moscou não deve se deixar enganar por tais declarações e deve tomar medidas em resposta, disse o primeiro vice-presidente do Comitê de Relações Exteriores do Conselho da Federação Russa, Vladimir Dzhabarov, à TASS na sexta-feira.

Após novas sanções anti-russas anunciadas por Washington, Biden fez um discurso na Casa Branca sobre a política do governo dos EUA em relação à Rússia. A tônica de seu discurso foi que o governo dos Estados Unidos esperava que Moscou reagisse de maneira apropriada para se livrar de novos confrontos. Biden também repetiu sua proposta de realizar uma reunião de cúpula com o presidente russo, Vladimir Putin, na Europa neste verão.

“Pelo que me pareceu, o próprio Biden ficou um pouco assustado com a ousadia de seus comentários, dois ou três dias atrás. Acredito que ele teme fortemente uma resposta dura da Rússia. Devemos ver como as coisas vão evoluir. Em minha opinião, este discurso é uma tentativa de amenizar a situação que surgiu nas relações entre nossos países”, disse ele.

“Acredito que a Rússia não deve se enganar de qualquer maneira por essas declarações. Devemos salvaguardar fortemente nossa posição e tomar medidas em resposta. Se isso for deixado sem uma resposta, teremos a próxima rodada de sanções e muito rapidamente”, acrescentou.

Ao falar sobre sua conversa telefônica com Putin, Biden “pediu [a Moscou] e não exigiu [que Moscou] se abstenha de qualquer ação militar na Ucrânia”, observou o funcionário russo.

“Pela primeira vez, a retórica de um líder dos EUA incluiu a palavra ‘instar’ [no contexto do conflito ucraniano]”, disse Dzhabarov. O funcionário russo destacou que Biden sempre se referiu ao líder russo como “Presidente Putin” em seu discurso, em vez de mencionar apenas seu sobrenome, como acontecia antes.

“Ele disse que impôs sanções, mas deixou um corredor de oportunidades. Ele também disse que os Estados Unidos não estavam dispostos a impor sanções contra o projeto Nord Stream 2 para não afetar os interesses de seus aliados, ou seja, a Alemanha”, frisou ele.

“Essa é a sua tônica: ele está pronto para se afastar um pouco de sua retórica dura”, disse Dzhabarov.

Pacote de sanções dos EUA

O presidente dos EUA, Joe Biden, assinou uma ordem executiva na quinta-feira para impor novas sanções contra a Rússia. Em particular, Washington proibiu as empresas dos EUA de comprarem diretamente títulos emitidos pelo Banco Central da Rússia, Fundo Nacional de Riqueza ou Ministério das Finanças após 14 de junho de 2021.

O Tesouro dos EUA também impôs sanções contra 16 entidades e 16 indivíduos por causa da suposta interferência de Moscou nas eleições dos EUA, enquanto oito cidadãos e empresas foram punidos por seus laços com a Crimeia, incluindo membros do governo.

Os Estados Unidos também expulsarão 10 funcionários da missão diplomática russa em Washington que o governo Biden considera “representantes dos serviços de inteligência russos”.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que Moscou responderá na mesma moeda às novas sanções americanas. As novas restrições dos EUA não contribuirão para um encontro pessoal entre o presidente russo Vladimir Putin e seu homólogo americano Joe Biden proposto por Washington, acrescentou Peskov.

Fonte: Tass.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curso sobre a RússiaCurso de InteligênciaCurso sobre a ChinaPublicidade
Fórum Brasileiro de Ciências PoliciaisLoja Café com Defesa

Veja também