Relatório dos EUA aponta que a China pressiona Taiwan para a unificação

Compartilhe:
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Imagem: CNA.

Imagem: CNA.

A comunidade de inteligência americana alertou em relatório de segurança nacional na terça-feira que a China emergiu como o principal competidor dos Estados Unidos e pressionará Taiwan na questão da unificação.

“Esperamos que o atrito (através do Estreito de Taiwan) cresça à medida que Pequim intensifica as tentativas de retratar Taipé como internacionalmente isolado e dependente do continente para a prosperidade econômica, e à medida em que a China continua a aumentar a atividade militar ao redor da ilha”, disse o relatório da o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional.

“Pequim pressionará as autoridades de Taiwan para que avancem em direção à unificação e condenará o que considera um aumento do envolvimento dos EUA com Taiwan”, disse o relatório.

O relatório anual de ameaças mundiais à segurança nacional dos Estados Unidos listou China, Rússia, Irã e Coréia do Norte como os principais desafios à segurança nacional no próximo ano.

“A China é cada vez mais um concorrente próximo, desafiando os Estados Unidos em múltiplas arenas – especialmente economicamente, militarmente e tecnologicamente – e está pressionando para mudar as normas globais”, disse o relatório.

Em termos de suas atividades regionais e globais, a China está usando ferramentas coordenadas para demonstrar sua força crescente e obrigar os vizinhos regionais a concordar com as preferências de Pequim, incluindo suas reivindicações de soberania sobre Taiwan, disse o relatório.

No Mar do Sul da China, “Pequim continuará a intimidar os requerentes rivais e usará um número crescente de plataformas aéreas, navais e marítimas para sinalizar aos países do sudeste asiático que a China tem controle efetivo sobre as áreas contestadas”, disse o relatório.

Ao mesmo tempo, a China continuará expandindo sua pegada de inteligência global para melhor apoiar seus interesses em todo o mundo e desafiar as alianças e parcerias dos Estados Unidos, de acordo com o relatório.

Em todo o leste da Ásia e no oeste do Pacífico, por exemplo, a China está tentando explorar as dúvidas sobre o compromisso dos EUA com a região, minar a democracia de Taiwan e estender a influência de Pequim, disse.

Fonte: Focus Taiwan.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também